O ex-governador de Macau, Rocha Vieira, deixou a comissão de fiscalização da ETP

De acordo com o jornal Energias de Portugal (ETP), o último governador de Macau durante a administração portuguesa deixou o Conselho Geral e de Supervisão, a concessionária de energia portuguesa.

O ex-governador do governo de Macau e secretário adjunto das Obras Públicas e Comunicações foi nomeado supervisor independente em 2012, a conselho da Three Gorges, uma empresa estatal chinesa que detém 19,03 por cento do Grupo de Energia.

A mudança foi aprovada pelos principais interessados ​​do ETP em 14 de abril em um referendo que destituiu o presidente Luis Amado, o empresário Ilidio Pinho e os conselheiros Eduardo Catroca, Celeste Cardona, Jorge Praga de Macito, Nuno Amado e Augusto Mattus.

O novo comitê de supervisão, eleito para um mandato de três anos até 2023, foi reduzido de 21 para 16 membros, juntamente com a advogada chinesa Jili Shao e seu novo presidente, Jon Dolon – um ex-membro do conselho de administração do banco português. Gorges.

Vieira, um dos membros mais ativos da Comissão, teve uma participação cada vez maior de mais de 90 por cento a mais do que no ano passado.

O militar português reformado foi governador de Meca entre 1991 e 1999, tendo-lhe atribuído uma das mais elevadas pensões mensais vitalícias concedidas a ex-oficiais pelo Governo português, que foi suspensa após a sua nomeação para a EDP no valor de 13.607 euros.

READ  Como a distante ilha portuguesa escapou da praga

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

PorAqui