Multas de trânsito mais caras a partir de novembro

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

A partir de 1º de novembro, em todo o País, haverá aumento no valor de todas as multas de trânsito em vigor, variando de 52% a 66%. Grande parte dos moradores de Setúbal tem se queixado das infrações, sobretudo o estacionamento em local proibido. A atenção agora terá que ser redobrada. A expectativa é que os condutores, por conta do bolso, passem a respeitar o código de trânsito.

Por exemplo, a partir do próximo mês, quem for pego pela fiscalização com o veículo estacionado em local e horário proibidos especificamente pela sinalização (placa Proibido Estacionar) terá que pagar multa de R$ 130,16 (antes era R$ 85,13). Antes, os valores eram estabelecidos com base na Unidade Fiscal de Referência (Ufir), extinta em 2001, e agora passam a ser vinculados à taxa do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), com juros se pagos em atraso. 

Confira as mudanças:

Infração leve
De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)
Exemplos: parar sobre a faixa de pedestres ou a calçada, usar a buzina em local ou horário proibidos pela sinalização.

Infração média
De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)
Exemplos: estacionar em locais e horários proibidos especificamente pela sinalização (placa Proibido Estacionar);
transitar em horário ou local proibidos, dirigir com o braço para fora, farol ou lanterna queimados.

Infração grave
De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)
Exemplos: estacionar sobre faixa de pedestres ou ciclovia, não dar seta, conduzir o veículo em mau estado de conservação

Infração gravíssima
De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)
Exemplos: falar ou manusear celular ao volante, estacionar em vagas reservadas para deficientes e idosos, dirigir sem carteira de habilitação, disputar racha, forçar a ultrapassagem em estradas e recusar fazer o teste do bafômetro.

Fator multiplicador – Algumas infrações gravíssimas (especificadas em lei) ainda são agravadas com fator multiplicador, ou seja, têm o valor multiplicado por 2, 3, 5, 10, 20 ou 60. É o caso de quem dirigir após ingerir bebida alcoólica, infração gravíssima multiplicada por 10, que passará de R$ 1.915,40 para R$ 2.934,70, valor que dobra (R$ 5.869,40) em caso de reincidência num prazo de 12 meses. E, se o motorista se recusar a fazer o teste do bafômetro, poderá ser multado e ter suspenso o direito de dirigir por 12 meses, além de pagar a multa.

Se não contestar a multa e optar por ser notificado eletronicamente, o condutor poderá ter um desconto de 40% no valor. “O Denatran vai disponibilizar uma ferramenta para isso, ainda não sabemos qual. Mas no dia 2 os pernambucanos já poderão se cadastrar no site do Detran, fazendo essa opção. Nosso sistema se interligará ao do Denatran”, informa o diretor-presidente do órgão, Charles Ribeiro.

Consulte aqui o Código Brasileiro de Trânsito.

Com informações do JC



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *