Pátio de São Pedro: do auge ao abandono

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Leonardo Vila Nova/PorAqui

Um valoroso ponto turístico, histórico e cultural do Recife sofre com o descaso e o abandono. O Pátio de São Pedro, no bairro de São José, já teve seus dias de glória. Hoje, um imenso vazio e a sensação de insegurança habitam o lugar.

O complexo cultural do Pátio de São Pedro já foi um dos principais redutos da vida cultural e boêmia do Recife. Nos seus áureos tempos, era comum ver centenas de pessoas lotando o espaço para eventos como Terça Negra, Dançando no Pátio ou Sábado Mangue. Assim como turistas e demais pessoas visitando os equipamentos instalados no lugar.

Nos últimos anos, os eventos foram deixando de existir. Os equipamentos culturais sofrem com problemas estruturais e falta de público. A insegurança amedronta os pouquíssimos visitantes e os locatários dos bares e restaurantes que ainda tentam se manter de pé.

Cadeiras dos bares vazias. O público sumiu do Pátio de São Pedro (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui).

No Pátio de São Pedro, se respirava a efervescência cultural que o Recife vivia. Oito equipamentos culturais funcionavam no lugar: Memorial Luiz Gonzaga, Memorial Chico Science, Centro de Formação em Artes Visuais, Centro de Design do Recife, Mamam no Pátio, Núcleo de Cultura Afrobrasileira, Casa do Carnaval e o Museu de Arte Popular. Todos sob responsabilidade da Prefeitura do Recife

Atualmente, poucos estão em funcionamento. Não há nas fachadas nenhuma identificação do que existe ali. A entrada do Memorial Chico Science, por exemplo, assusta, tamanha a deterioração.

Paulo Roberto, proprietário do Buraco do Sargento, tradicional bar que funciona na casa 33, diz que o Pátio de São Pedro amarga o total esquecimento do poder público. “Aqui é o centro turístico da cidade, por lei. Eu acho que deveria ter uma melhor atenção”.

Paulo Roberto, do Buraco do Sargento, reclama da desatenção com o Pátio (Foto: Leonardo Vila Nova/PorAqui)

Para ele, a extinção dos eventos no Pátio de São Pedro acabou tornando o lugar menos atrativo para o público. “Hoje, você não tem mais Terça Negra, nem Dançando no Pátio, nem festa no fim do ano. De evento, só tem dois dias em junho, e o Carnaval. Daí ninguém vem mais”.

Essa falta de público atingiu em cheio os estabelecimentos do lugar. O faturamento do Buraco do Sargento caiu em 80%, garante Paulo.

“A questão de segurança também foi se agravando. Ninguém quer vir pra um lugar sem segurança”, ressalta.

“Certa vez, eu estava fechando a porta do bar, um cara chegou e colocou uma faca no meu pescoço” (Paulo Roberto, do Buraco do Sargento)

Outro dono de estabelecimento, que não quis se identificar, também se queixa. “Aqui tá quase virando a cracolândia. A bandidagem tá correndo solta. Ninguém quer mais vir pra cá, com medo de ser assaltado”.

“Os guardas municipais, quando chegam no horário noturno, ficam dentro das casas. Dormem, nem chegar a ver nada”, diz. “Muitos estabelecimentos aqui já foram arrombados”. O proprietário do bar também se queixou da ausência de policiamento.

Segurança

Sobre a segurança no Pátio de São Pedro, a Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE) informou que o policiamento na área “é realizado pelo 16º Batalhão através das Guarnições Táticas e recebem apoio do Grupo de Apoio Tático Itinerante (GATI) e de motopatrulheiros”.

Destacou que “a unidade mantém ainda uma operação para apreensão de armas brancas”, acrescentando que “nos últimos três meses, foram apreendidas 402 armas deste tipo, onde a média mensal era de 20 por mês”.

No entanto, a PM-PE não informou quantos policiais estão destacados para atuar na região.

A Secretaria de Defesa Social, em nota, informou que realiza o videomonitoramento do Pátio de São Pedro, garantindo “que possui uma câmera em pleno funcionamento e que as imagens captadas são enviadas para a Central de Videomonitoramento, que opera 24 horas, podendo em casos de flagrante, demandar viatura policial ao local”.

A Guarda Municipal, responsável pela segurança do patrimônio público da cidade, informou que há um posto funcionando 24 horas no local. Acrescentou, ainda que “a Secretaria de Segurança Urbana instalou há 3 meses uma câmera de monitoramento no local”.

Equipamentos culturais

Com relação aos questionamentos do PorAqui sobre a gestão e manutenção dos equipamentos culturais do Pátio de São Pedro, a Secretaria de Cultura do Recife, por meio de sua assessoria de imprensa, respondeu que “atualmente, três equipamentos estão em manutenção ou reforma, ainda sem previsão de reabertura: o Museu de Arte Popular, o Centro de Design do Recife e Mamam no Pátio”.

 

 



comment 5 comentários

  1. Boa Matéria, uma realidade lamentável, mas existe um núcleo de resistência que acredita no potencial do Pátio de S. Pedro e ñ deixaremos ele morrer, sem apoio da iniciativa pública vamos seguindo no fluxo da ocupação e resistência do Pátio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *