Portugal manterá assistência COVID a organizações e famílias

Apesar do enorme buraco no orçamento nos primeiros meses de 2021, o ministro das finanças disse na terça-feira que medidas onerosas para apoiar as empresas e famílias portuguesas permanecerão enquanto forem necessárias.

Na segunda-feira, o governo português registou um défice de 2,3 mil milhões de euros no primeiro trimestre de 2021, face a um excedente de 103 milhões de euros há um ano, devido aos elevados gastos com fechaduras para famílias e empresas. Estas medidas extraordinárias aumentaram a despesa pública em cerca de 2,1 mil milhões de euros nos primeiros três meses, dos quais 932 milhões foram gastos apenas em março.

O ministro das Finanças, João Léo, disse a uma comissão parlamentar que “embora estes apoios (medidas) sejam muito graves, é importante que as empresas mantenham as suas operações e empregos e se preparem para a fase de recuperação”. “O apoio às famílias, trabalhadores e empresas continuará a todo custo, desde que a atividade econômica seja condicionada pela epidemia”, disse Leo.

O país de 10 milhões de habitantes foi particularmente atingido pela terceira onda da epidemia, que então experimentou o pior surto de vírus corona do mundo, agora abrandando gradualmente as rigorosas medidas de bloqueio impostas em meados de janeiro. Leo disse que as medidas permitirão que a taxa de desemprego caia para 6,8% até 2020 e o investimento caia apenas 2%.

A economia turística do país contraiu-se para 7,6% no ano passado, sua maior recessão desde 1936. Há duas semanas, o governo reduziu sua previsão de crescimento econômico para 2021 de 5,4% para 4% e disse que o déficit orçamentário deve chegar a 4,5% do PIB, ante 5,7% no ano passado.

Leia também: Testes de liderança da equipe Moto-Mirin a favor do COVID-19 para perder GP de Portugal

READ  O melhor Jogo De Lençol Queen: quais são suas opções?

(Esta história não foi editada pela equipe Devtiscourse, ela foi criada automaticamente a partir de um feed integrado.)

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

PorAqui