Macau: A Cadeia do Elo Azul para a Cultura Intermédia e o Progresso Económico – Uma Visão para a Nova Era

Li Yichaw E Francisco Silva Leandro

Instituto de Investigação para Países de Língua Portuguesa, Universidade Municipal de Macau


O Escritório de Informação do Conselho de Estado da República Popular da China divulgou um documento em janeiro de 2021: Cooperação Internacional para o Desenvolvimento da China na Nova Era. Este Documento do Futuro não apenas reconhece a China como o maior país em desenvolvimento do mundo, mas, mais importante, vê a China como o futuro arquiteto da paz mundial, contribuinte para a prosperidade global e defensora da ordem internacional. À luz dessa ideia, faz sentido explorar a contribuição de Meca para esta iniciativa nacional.

Espera-se que Macau, enquanto território chinês com uma ligação histórica especial ao mundo lusófono, dê três contribuições significativas para a nova era de progresso económico e social da China: (1) promover transições de pessoa para pessoa e apoiar a cultura intercultural; (2) promoção de instalações de comércio e serviços; (3) Contribuir para as bases de infraestrutura do conceito de “Consentimento com Consentimento”. Na arena doméstica, essas três áreas complementares devem ser realizadas no contexto de uma integração política de longo prazo e da descentralização da aplicação da lei, bem como no contexto de uma diversidade responsável de uma perspectiva externa.

Na prática, espera-se que a contribuição de Meca seja desenvolvida em quatro áreas principais: (1) o desenvolvimento do conceito de uma parceria azul como um conceito econômico abrangente; (2) apoio à expansão do Corredor Económico Azul China-Oceano Índico-África-Mar Mediterrâneo (também denominado Rota da Seda Marítima da Língua Portuguesa); (3) educação para a inovação, o intercâmbio humano, a cooperação internacional e a carbonatação da economia; (4) e a transformação do Fórum de Macau em organismo semi-intergovernamental de cooperação entre a China e os países de língua portuguesa (Fórum Macau).

READ  O melhor O Que É Isso Companheiro: quais são suas opções?

(1) Desenvolvimento do conceito de parceria azul como um conceito econômico abrangente – A ideia de uma parceria no contexto da cooperação marítima oferece oportunidades para a cooperação econômica de uma forma sustentável. O Índice de Desenvolvimento Econômico do Oceano da China (OEDI) mostra uma tendência geral de aumento constante na última década; O índice mais alto de 100,0 (2010) a 134,3 (2019) é usado principalmente para medir os três aspectos do nível de crescimento econômico marítimo, desempenho econômico e viabilidade econômica. A China tem uma longa experiência na economia marítima e um extraordinário potencial para transformar sua indústria. Os países de língua portuguesa (PSCs) são todos países caros, nos quais a economia marítima recebe considerável atenção política. Além disso, o conceito de parceria azul oferece a flexibilidade e a expansão que ambas as partes buscam no contexto de seus mercados domésticos. Este é um aspecto crucial dos planos de crescimento dos estados no contexto das ilhas de expressão portuguesa e de estabilidade económica.

(2) Apoio à expansão da Rota da Seda Marítima de Língua Portuguesa – O desenvolvimento das componentes marítimas da cintura e da iniciativa rodoviária é um aspecto muito atractivo da cooperação bilateral entre a China e a BSE. A visão relacionada ao papel do BSc deve estar relacionada à integração de infra-estrutura chave para melhorar as economias, promovendo a integração econômica regional, agregando valor às cadeias de suprimentos e facilidades comerciais e aplicando mecanismos. Zonas de Livre Comércio (FTA) ou Zonas Econômicas Especiais (SEZs). As Linhas Marítimas de Comunicação (SLOC) e os mecanismos financeiros para apoiar o medo irrestrito a preços acessíveis são cruciais para transformar o leito marinho lusófono do cinturão e a iniciativa rodoviária num corredor económico sustentável.

READ  O melhor Reborn Baby Dolls: quais são suas opções?

3) Educação para inovação, intercâmbio humano, cooperação internacional e carbonatação da economia. As estruturas e programas educacionais devem estar alinhados com os objetivos econômicos e buscar uma perspectiva integrada: a educação para promover o progresso tecnológico e econômico sustentável, assim como a educação para a promoção do vínculo humano e do culturalismo. A colaboração de pessoa para pessoa à luz da cultura é tão crucial quanto as inovações para a economia. A alfabetização cultural deve ser bem-sucedida para melhorar as relações comerciais de longo prazo.

(4) Transformação do Fórum de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Macau numa entidade semi-governamental. O Fórum de Macau foi criado em 2003 como uma iniciativa política construtiva para apoiar as políticas nacionais chinesas no contexto do desenvolvimento e da diversidade. O Fórum Moram completou seu objetivo inicial em 2018 de coletar todos os BScs, exceto a Guiné Equatorial. O debate sobre a transformação desta empresa bem-sucedida e relevante está agora em cima da mesa, mas a bola está do lado chinês. O modelo atual de organização nacional com participação internacional, totalmente financiado pela China. As lições aprendidas com os modelos de cooperação propostos pela China parecem sugerir três mudanças principais: (1) expandir seu escopo para promover laços culturais, apoiar a educação pública e facilitar o comércio e o comércio; (2) desenvolver um orçamento geral operacional e de investimento; (3) A transformação de seu status e estrutura em uma entidade quase-governamental criada por um acordo multilateral, e o gozo de autonomia operacional e orçamentária sob controle político comum, capaz de provocar forte envolvimento de todos os participantes.

Na próxima década, Macau terá uma oportunidade única de dar um contributo significativo para a visão da China. A base marítima e a área da Grande Baía de Belt and Road Initiative são oportunidades para garantir a vontade política a todo vapor, transformando a ideia de uma plataforma de uma senha em um farol de uma estratégia econômica sustentável e valiosa para melhorar o núcleo. infraestrutura para negócios e promoção de negócios que integra educação.

READ  Recorde mundial alcançado por empresas portuguesas

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

PorAqui