Segunda-feira, dia internacional do lugar de falha

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Natália Dantas/PorAqui

Lugar de falha. No momento, é nesse ponto que me encontro e no qual desejo permanecer por um bom tempo. Adotei essa postura porque sou um narcisista profundo e sofro de “filhounicocidade”, aquela síndrome que acomete pessoas criadas sem irmãos e cujos feitos ou progressos são exaltados como prêmio Nobel pelos pais, enquanto as críticas e derrotas são deixadas para quando o Náutico ganhar um título.

Expor-me voluntariamente à possibilidade de falha foi a única solução que encontrei para lidar com essa enfermidade.

Prepara o bolso: vem aí o ISSex, Imposto Sobre Sexta

Adulto, ecoa em mim um medo épico de ser julgado incapaz e de me arriscar frente ao desconhecido. Virei aquele tipo de pessoa que quer fazer uma viagem de carro pelo litoral do Nordeste, mas não tirou a CNH. Quer cuidar da saúde e ter ganhos estéticos enquanto come pizza e perde noites de sono na internet. Quer ser faixa-preta de jiu-jitsu sem nunca ter passado na frente de uma academia. Quer tomar cerveja gelada nas ladeiras de Olinda, mas o cooler, que é bom, nada.

A situação é tão esdrúxula que chegou ao ponto da minha mulher achar que “o que você deseja assistir?” é uma série do Netflix, pois eu passo horas para escolher algo com medo de ter minha opção rejeitada por ela.

De hoje, não passa. Correr duzentos metros, ter vontade de morrer, parar para respirar, rezar um Pai Nosso e voltar a correr (e ter vontade de morrer…)? Oxe, quem mais vai sou eu! Reprovar três vezes no exame prático do DETRAN e remarcar a quarta tentativa? Deixa com painho aqui! Escrever mal, ser pretensamente engraçado e ainda resolver publicar os textos? Você vê “PorAqui”!

E tudo isso eu resolvi fazer numa segunda-feira, o dia internacional do lugar de falha.

 

Daniel Barros é recifense, formado em Letras pela UFPE. Atualmente mora no Derby, mas é cria da CDU. Come e bebe em demasia. Já tomou muita cerveja no Mercado da Encruzilhada.  Nos intervalos, anda de ônibus. Nesta vida, veio a passeio, mas ficou preso em Abreu e Lima. É conteudista colaborador do PorAqui para desperdiçar seu tempo.

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.

 



comment 1 comentário

  1. considerando que a sexta-feira é o dia mundial da esperança de que todos os problemas serão resolvidos nos próximos DOIS dias... a situação da segunda é particularmente difícil...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *