Parque Graças: o projeto, tintim por tintim

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Imagem: Parque Capibaribe/Reprodução

Mais de cem pessoas participaram da reunião realizada na noite desta segunda-feira (28), no Graças Food Park. O motivo que levou tantos moradores das Graças, na Zona Norte do Recife, à Rua das Pernambucanas foi que seria ali apresentada a 2ª etapa do Parque Capibaribe, trecho batizado de “Parque Graças”, já que vai da Ponte da Capunga à Ponte da Torre.

VEJA TAMBÉM:

Rio Capibaribe: um zoo a céu aberto

3ª etapa do Parque Capibaribe será da Ponte da Torre ao Jardim do Baobá

Estiveram presentes o secretário Bruno Schwambach e o secretário executivo Romero Pereira (ambos da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente da Prefeitura da Cidade do Recife), o presidente da URB Recife, João Alberto Farias, Circe Monteiro e Ana Raquel Meneses, do INCITI, entre outros.

Segundo Lúcia Moura, presidente da Associação por Amor às Graças, a reunião foi bastante participativa. “Contou com uma ampla participação da comunidade. Tinha como objetivo apresentar o projeto licitado, informar o início das obras e tirar dúvidas dos moradores. O INCITI/UFPE fez a apresentação do projeto. Foi aberta a palavra aos moradores para que formulassem seus questionamentos”. A reunião foi até as 22h.

Dias antes da reunião, o PorAqui esteve com Ana Raquel Meneses, na sede do INCITI, no Bairro do Recife, que apresentou o projeto e todos os equipamentos que estão planejados para a etapa Parque Graças.

Tintim por tintim

Área de convivência, mirantes, passarelas, píer para pequenos barcos, arborização, parque infantil, mesas para piquenique, pista para pedestre, via para carros compartilhada com bicicletas – e o melhor, a baixa velocidade (30 km por hora!) -, quiosques, refúgio das capivaras… Vai dar até para fazer cooper sem precisar atravessar a Ponte da Torre. E, se for preciso, vai dar para ir das Graças ao bairro que fica do outro lado do Capibaribe por uma passarela só para pedestres! Mas isso já é outra etapa do projeto…

 

 

O trecho todo tem 900 metros e 18 meses para ficar pronto. A obra começou em 1º de junho deste ano, mas a pretensão da PCR é que, até o fim da gestão, o Parque Capibaribe vá do Parque da Jaqueira até o Paissandu, ali perto da Ilha do Retiro. São cerca de três anos para uma obra bem extensa, mas segundo o INCITI, essa é a meta da PCR.

Vigilantes

Enquanto a obra acontece nas Graças, os moradores estão atuantes. Integrantes da Associação por Amor às Graças (Lúcia Moura, Múcio Jucá, Fernando Moura, Fernanda Costa e Marcos Campelo) fazem parte de uma comissão de acompanhamento da obra, que vai quinzenalmente ao canteiro para averiguar a realização do serviço.

Tem dúvidas sobre o projeto? Mande e-mail para parquegracas@gmail.com.
Facebook: Parque Capibaribe
Instagram: @parquecapibaribe

Colaboraram Isabela Faria, Lúcia Moura e Fernanda Costa, da Associação por Amor às Graças.



comment 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *