O café dentro do ônibus de 1982 e o que há de poesia nisso

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Suzana Souza/PorAqui

Lembro de quando o Clandestino Café inaugurou, em março de 2017. Tenho lembranças gostosas da época: o PorAqui estava dando seus primeiros passos, a ideia do Café na Cidade ainda era algo distante e minha vontade de descobrir mais o Recife era crescente.

3 cafeterias que oferecem mais do que café no Recife

Saber da existência de um café dentro de um ônibus me fez sentir aquele frenesi de encontrar lugarezinhos bonitos no Recife. Mas o amor platônico durou mais do que o necessário. Fui ao Museu do Estado Pernambuco, onde o Clandestino fica estacionado, quatro vezes antes de persistir na fila de espera por quase uma hora e conseguir uma mesa dentro do Mercedes-Benz.

No cardápio, um poeminha escrito à mão. O tipo de coisa que me encanta. (Foto: Suzana Souza/PorAqui)

Pra quem ainda não entendeu, o Clandestino fica dentro de um ônibus verde-musgo chamado Celestino (inclusive esse é o nome de uma das bebidas mais especiais da casa). O ônibus era militar e carregava soldados antigamente, até que um casal de empreendedores o encontraram na estrada que liga Recife a Garanhuns e decidiram apostar na antiga ideia de fazer um café móvel.

Sorte a nossa, que agora temos mais um museu com um cafezinho na cidade. A dica é óbvia: fazer o passeio completo com visita ao acervo do Museu do Estado de Pernambuco. A entrada do MEPE custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia-entrada).

Parte de dentro do café: as bebidas e comidinhas são feitas na traseira do ônibus (Foto: Suzana Souza/PorAqui)

Eu, clandestina

Cheguei no Clandestino era fim da tarde, o sol se pondo e as muriçocas saindo das entocas pra picar a gente. Quando eu e mais duas amigas ouvimos a menina nos chamar pra mesa dentro do ônibus, depois de quase uma hora de espera, demos pulinhos de alegria: finalmente um espaço livre dos mosquitos e com ar-condicionado.

A espera só foi mais amena pelo detalhe do cardápio que mostrei acima: uma poesia escrita à mão no verso, onde fica bem evidente o carinho e cuidado pelo lugar. Ai, já sabe, né? Suzana se apaixona.

Brownie com sorvete (R$ 14,90) Foto: Suzana Souza/PorAqui

Já dentro do ônibus, o clima é meio estranho. Não um estranho ruim, mas uma sensação de que o ônibus pode sair andando a qualquer momento, sabe? Confesso que uma labirintite que eu não tenho atacou ali. 😂

Fora isso, o ambiente é apertadinho, afinal de contas, é um ônibus. As vozes também ficam bem mais altas do que o normal, então duas coisas: se você é sensível demais com barulho, não é o melhor lugar pra você; e se você for por lá, tente maneirar no tom de voz.

Muito da beleza do lugar tá nisso: todo mundo fica meio pertinho, sentado próximo. Dá pra fazer amizades (ou paquerar né, vai que).

Nossos pedidos da noite (Foto: Suzana Souza/PorAqui)

Comidinhas

Os atendentes todos são extremamente atenciosos e o pedido sai rápido. Cada uma de nós pediu uma coisa diferente e os três pratos estavam deliciosos. As meninas pediram croissants recheados (a partir de R$ 10,90) e eu fui na empanada de caponata de beringela (se não me engano R$ 8,90).

Já no café, nós três fizemos a maria vai com as outras e pedimos o capuccino de nutela e paçoca (R$ 9). Entrou pra minha listinha de capuccinos preferidos do Recife. Para a nossa sobremesa, dividimos um brownie com sorvete (R$ 14,90) e ninguém se afeiçoou muito. Tava nota 7.

A casa oferece outras opções de café: espresso clássico (R$ 5), 5 opções de filtração (a partir de R$ 7) e uns capuccinos mais autorais, tipo o de gengibre (R$ 8). Um dos mais pedidos da casa é o Celestino: espresso, limão siciliano, água com gás, raspas de gengibre e gelo (R$ 12).

Artista ou não, quem quiser pode pedir um filtro de café e deixar seu recadinho dentro do ônibus (Foto: Suzana Souza/PorAqui)

Recife Coffee

E se liga: de 2 de maio a 3 de junho  Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Porto de Galinhas estão recebendo o Recife Coffee, festival que reúne por um preço fechado (R$ 24,90) uma sugestão do barista, composta por um café + um salgado + uma sobremesa.

O Clandestino é um dos 35 cafés do festival e oferece o combo coldbrew com limão siciliano, kebab de falafel com molho de iogurte e brownie de chocolate com manteiga de amendoim.

⭐ Recomendo: 🌟🌟🌟🌟🌟

📌 Clandestino Café
📍 Museu do Estado de Pernambuco | Av. Rui Barbosa, 960
☎ (081) 97906-4866
⏰ Quarta, quinta e sábado, das 15h às 21h | Sexta e domingo, das 15h às 20h
📷 @clandestinocafe

* Post especialmente dedicado à Paula Melo, a musa das Graças e da gastronomia recifense. 

Por Suzana Souza do Café na Cidade 

Suzana é estudante de jornalismo pela UFPE e estagiária do PorAqui. Moradora de Setúbal (quase) sua vida toda, Suzana não nasceu no Recife, mas é 100% pernambucana. Tem uma estante de livros dividida por cores em um quarto amontoado de coisa e sonha em um dia, bem lá na frente, ser dona de um cafezinho no Centro do Recife. É também mãe de uma gatinea chamada Mila e uma catiorinea chamada Sofia. Ah! Suzana também é doida por comidinhas (taurina, né?), lugares bonitinhos e por falar tudo no diminutivo.

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.



comment 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *