Empreendedor mantém central de reciclagem 24h para ajudar catadores

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Marina Suassuna/PorAqui

Na Estrada do Arraial, entre os bairros de Casa Amarela e Casa Forte, na Zona Norte do Recife, uma iniciativa simples faz a diferença há 20 anos no entorno. O empreendedor Sérgio Nascimento, dono do Armazém Etapa Final, que fica ao lado do bar Corisco e Dadá, mantém, na mesma calçada de seu negócio, uma central de reciclagem para diminuir o impacto de sua empresa.

Lá são despejados cerca de 6 toneladas de lixo por mês, que são entregues aos catadores e catadoras da região com o objetivo de melhorar as condições de trabalho e renda da categoria. Os catadores passam a qualquer hora do dia pra recolher o que acharem rentável.

Central de reciclagem fica à disposição 24 horas – Foto: Marina Suassuna/PorAqui

Além do lixo produzido no armazém, a iniciativa ganhou adesão dos moradores. “Muitos trazem o lixo até da casa de praia quando voltam do final de semana. Isso é espetacular. É um equipamento funcional que facilita a vida das pessoas e elas percebem que isso é importante”, comemora Sérgio.

9 coisas sobre o Capibaribe que você ficou sabendo PorAqui

Além da coleta seletiva tradicional, dividida entre vidro, plástico, metal e papel, o local recebe pilhas, baterias e óleo de cozinha. Os materiais que não oferecem viabilidade para reciclagem são destinados à coleta comum.

No mesmo local, Sérgio mantém o projeto Cocô Zero, em que reaproveita as sacolas de lixo, disponibilizando-as para as pessoas que queiram recolher o cocô de seu animal de estimação na rua.

Ele também preside a Associação Meio Ambiente Preservar e Educar (AMAPE), organização sem fins lucrativos que tem como objetivo a educação ambiental e a promoção do desenvolvimento sustentável.

“Recicle sua cabeça”

Cerca de 15 catadores frequentam o posto de entrega. Um dos mais assíduos é Jeová Claudino Rodrigues, que vai todos os dias ao local. Há sete anos, o lixo depositado no PEV é responsável pelo seu sustento, que chega a quase um salário mínimo por mês. 
Jeová vai todos os dias recolher o lixo para seu sustento – Foto: Marina Suassuna/PorAqui

“Criamos isso aqui pensando no catador.  Ele é o que ganha menos e o que trabalha mais e é sempre tratado de forma pejorativa. As pessoas precisam entender que algo tão pejorativo como o lixo pode agregar valor não só ao seu empreendimento, como ao planeta e a outras pessoas. Pois esse lixo vira receita, que faz com que muita gente que tenha pouca qualificação e que podia estar no mundo do crime possa ter uma outra perspectiva” acredita Sérgio.

Para ele, “o lixo é o grande desafio da sociedade porque água você fecha a torneira, luz tem como desligar um interruptor, mas o lixo não. Ele quer que você esteja atento a ele todos os dias porque todos geramos lixo cotidianamente fazendo qualquer coisa. Por isso, comece reciclando a sua cabeça”, provoca o empreendedor.

Armazém Etapa Final/ Posto de entrega voluntário (PEV)
Estrada do Arraial, 338, Casa Amarela
Informações: (081) 3266-4873


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *