Cine do Museu é o primeiro do Brasil a exibir sessões inclusivas regularmente

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Gil Vicente/Fanzine/Fundaj

A partir de outubro, o Cinema do Museu, em Casa Forte, Zona Norte do Recife, vai passar a exibir, quinzenalmente, filmes nacionais destinados a pessoas cegas, surdas e ensurdecidas. A iniciativa, batizada de projeto Alumiar, é pioneira ao levar filmes brasileiros com as três acessibilidades comunicacionais no cinema e também em um canal de televisão e em uma WebTV.

Além do cinema, os longas serão disponibilizados na TV Escola e na TV INES (WebTV em Linguagem Brasileira de Sinais) em três modalidades de acessibilidade comunicacional: audiodescrição (AD) para pessoas cegas ou com baixa visão, língua brasileira de sinais (Libras) para pessoas surdas e legendas para surdos e ensurdecidos (LSE).

Foto: Gil Vicente/Fanzine/Fundaj

A meta do projeto é tornar 20 longas metragens brasileiros acessíveis no período de um ano. As produções serão selecionadas por uma curadoria, que vai levar em conta a qualidade cultural e artística da obra. Após a seleção, uma equipe especializada promoverá a acessibilidade dos filmes.

As sessões também são voltadas para estudantes, profissionais e pesquisadores da área da acessibilidade, produtores de audiovisual, estudantes de artes visuais e o público em geral.

Foto: Gil Vicente/Fanzine/Fundaj

A ideia, segundo a coordenadora do projeto e do Cinema do Museu, Ana Farache, é que as sessões também sejam “um espaço de discussão e avaliação do modelo de acessibilidade aplicado aos filmes, com debates e pesquisas realizadas entre público e especialistas”.

O projeto visa ainda a realização de seminários e cursos sobre acessibilidade no cinema com especialistas brasileiros e internacionais.

100% acessível

Com o projeto Alumiar, o Cinema do Museu, que já está adaptado fisicamente para receber pessoas com deficiência, passa a atender 100% os requisitos da Agência Nacional do Cinema (Ancine), que desde 2016 determinou que as salas de cinema brasileiras tornem-se acessíveis às pessoas com deficiência.

Além da adaptação física, como rampas de acesso às salas, espaços reservados para as cadeiras de rodas, poltronas mais largas para pessoas de sobrepeso e banheiros adaptados, é necessário que haja implementação também para receber as tecnologias assistivas da acessibilidade comunicacional. O período para implantação da acessibilidade é até novembro deste ano.

Pra ficar por dentro da programação Alumiar, não deixa de acompanhar o PorAqui!

?Cinema do Museu

?Museu do Homem do Nordeste – Avenida 17 de Agosto, 2187, Casa Forte
☎  (81) 3073-6420
Facebook: Cinema da Fundação Joaquim Nabuco
Como chegar:



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *