Café com temática indígena de portas abertas no Poço da Panela

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: divulgação

Durante cinco anos, o músico Alysson Magno morou em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, mas sempre nutriu a vontade de se mudar para o Poço da Panela, na Zona Norte, e também de abrir um café. Paralelo a isso, ele, que é filho de índio xukuru, começou a resgatar a sua origem indígena. Assim começou a história da Oca Xukuru, um misto de café e espaço cultural que funciona desde o início de julho no número 30 da Rua Álvaro Macedo, no Poço da Panela.

Acolhedor e intimista, o Oca é quase vizinho ao ateliê da artista plástica Clarissa Garcia, que fica na mesma calçada da Venda de Seu Vital. O local tem atraído vários artistas e moradores do bairro para tomar aquela cerveja gelada no fim do dia e também para reuniões informais.

Foto: divulgação

Se a fome bater, a casa tem um cardápio de petiscos variados, com caldinho, tábua de frios, empanadas, entre outros. Um das indicações do proprietário é o cuscuz branco feito de arroz, recheado com carne de sol e queijo de coalho e também a tapioca tradicional.

Mas o que realmente chama a atenção do Oca é o visual e a “carga de energia” que o proprietário fez questão de imprimir na decoração. “A religião do índio é a natureza”, diz Alysson, justificando a proposta estética do lugar.

Foto: divulgação

Mesas feitas de resíduos florestais, plantas, objetos e materiais autenticamente indígenas compõem o ambiente, que também é decorado com fotografias feitas na Serra do Ororubá, em Pesqueira, principal reduto xukuru do Estado.

“Eu precisava encontrar uma porta para que as pessoas tivessem acesso a essa energia e essa cultura sem eu precisar ficar explicando. Tem porta melhor do que a visão?”, diz o proprietário, que toca o negócio junto com sua esposa, Shirlene Mafra, mais conhecida como Shica.

“Além de receber os amigos e fazer novas amizades, o principal intuito do café é atrair a atenção das pessoas para a história do povo xukuru e das outras etnias indígenas que existem em Pernambuco. Nada aqui é figurativo, é preciso entender a carga do ambiente”, explica.

Foto: divulgação

Alysson pediu permissão ao cacique de sua aldeia para utilizar os elementos da cultura xukuru no conceito do espaço. “Ele passou um tempo pra entender. Achei que fosse receber uma resposta negativa, mas pelo contrário, fui incentivado”, comemora.

Nas sextas e sábados, a Oca tem apresentações musicais. Nesta sexta (25),  o espaço vai receber o projeto de vinil Salada RPM, com os DJs Vitrola e Rastonauta tocando clássicos jamaicanos e pérolas essencialmente brasileiras, respectivamente. O couvert vai custar R$ 10.

Serviço
Oca Xukuru (Rua Rua Álvaro Macedo, nº 30, Poço da Panela)
Horário de funcionamento:
De quinta a domingo, das 17h às 23h

comment 12 comentários

  1. Nooooosa! Que lugar lindo e acolhedor!, moro em Porto de Galinhas 😎 sou amiga de Marina Suassuna e Marquinhos (jerivá), logo menos quero conhecer esse espaço de energia contagiante…

  2. Parabéns pela reportagem Mariana, conseguiu expressar bem a energia do Oca Xucuru. E eu como cliente assíduo recomendo todos conhecerem, cafés, cervejas e cardápio diverso, e programação cultural que alimenta a alma.

  3. Foi maravilhoso receber Maria Suassuna com o por aqui na Oca Xukuru , depois da reportagem a divulgação atraiu muito mais gente do que esperávamos portanto muitíssimo obrigado e parabéns pelo ótimo trabalho Marina . No entanto infelizmente não podemos atender a todos que vieram hj domingo 27 , peço desculpas aos que na conseguimos atender bem . Estaremos preparados na próxima semana , importante lembrar que o espaço é pequeno por isso naturalmente aconchegante . Zap 98670 – 0800. Obrigado a todos .

  4. Parabéns Mariana pela reportagem foi ela quem me levou a Oca. Lugar interessante onde você se sente bem recebido por Alisson , sua esposa e demais equipe. Adoramos a música , Alisson tocando MPB da melhor qualidade. Com som que não fere os nossos tímpanos . A maioria dos lugares em Recife a gente não pode ouvir música só barulho! Achei formidável o horário de funcionamento terminando as 23hs por ser uma área residencial. Infelizmente aqui no Poço da Panela os lugares não respeitam a vizinhança. Enfim um lugar pra se sentir bem, respeitar e ser respeitado

  5. Minha filha e eu estivemos no Café Oca. O ambiente é pura energia Xukuru. Guardamos no lado esquerdo do peito e na memória o carinho e a atenção que recebemos de Alysson Xukuru e sua família. Ah… está de pé o convite de Alysson para uma roda de conversa sobre literatura indígena. Que nossos ancestrais nos acolham. Saudações indígenas, Graça Graúna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *