Como um erro de português se tornou um bloco de Carnaval

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Fundado em 1971 na Ilha de Itamaracá, litoral norte de Pernambuco, o bloco Comixão passou a integrar o calendário carnavalesco do Poço da Panela, na Zona Norte do Recife, há cinco anos. Dois sábados antes do de Zé Pereira, a troça desfila em frente à Igreja do Poço.

As principais prévias que vão rolar em Casa Forte

A brincadeira começou com duas famílias que costumavam passar o Carnaval em Itamaracá. Foi lá que surgiu o nome do bloco, durante um desfile de fantasia infantil.

“Havia uma comissão julgadora e uma criança colocou uma plaquinha escrito ‘comixão’ ao invés de ‘comissão’. Foi daí que surgiu a brincadeira”, explica Rufino Gonçalves, diretor financeiro da agremiação.

O Comixão ficou sem desfilar por um tempo até que a segunda geração das famílias reativou o bloco. Como já não passavam mais o Carnaval em Itamaracá, resolveram trazê-lo para o Poço, já que a maioria dos membros mora no entorno.

Bloco se concentra em frente à Igreja do Poço – Foto: divulgação

Este ano, o Comixão vai sair no dia 27 de janeiro, a partir das 15h. As camisetas são vendidas por R$ 25 (criança), R$ 30 e R$ 35 (adulto, de acordo com o tamanho) na Casa do Pão Drive, container  em frente ao Carrefour, no bairro da Torre.

Quem compra a camisa, tem direito a ganhar batidas de pitanga e maracaxi (maracujá com abacaxi) no dia do desfile.

 

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *