Livroteca Brincante leva crianças do Bode para além das leituras

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

A Livroteca Brincante do Pina completa, em 2017, 20 anos de luta para inserir as crianças da Comunidade do Bode, no mundo da leitura. Agora mais encorpada, com a participação de 14 voluntários estrangeiros e locais, a instituição segue oferecendo, além do empréstimo de livros, outros tipos de atividade, como sessões de cinema e aulas de dança e capoeira.

“Nós já temos cadastradas 60 crianças, sem contar com jovens, adolescentes e adultos. Indiretamente, a gente atende 200 pessoas da comunidade”, afirma Kcal Gomes, coordenador da ONG.

As sessões de cinema ocorrem sempre à noite. Às quartas para as crianças maiores e às sextas para as menores. “Cinema é o que mais atrai, mas a gente também atua na área ambiental. Revitalizamos aqui uma praça que era um lixão e já fomos chamados pela comunidade para revitalizar outra”, afirma.

As atividades ocorrem na nova sede: o antigo prédio da extinta Associação de Moradores do Pina, na Rua Artur Lício, 291. “É um início ainda da coisa, que antes era complicado com o aluguel. Era R$ 800 em média por mês, e a gente vivia nesse fecha e abre, até que a gente ocupou um espaço que estava abandonado há mais de 10 anos, tomado pelo consumo de crack. Estamos aqui há um ano e meio”, conta Kcal.

Atualmente, a Livroteca vive de doações e consegue alguma verba tocando música no metrô, nos ônibus e nas praças, além de fazer pedágio em sinais de trânsito. “Nós já sofremos muito com essa história de apoio do governo, porque não era constante, aí resolvemos ser independentes”, conta o coordenador.

“Temos uma Kombi, e a gente vai no Ceasa uma vez na semana buscar doações e distribuir com a turma aqui. A gente faz sopa, distribui frutas, faz pipoca para o cinema, etc.”, afirma.

Hoje a Livroteca Brincante do Pina conta com um acervo de 7 mil livros, mas quando começou só tinha 90 e funcionava numa palafita. “O início foi através de um livro que eu achei na maré. Me apaixonei pela leitura e comecei a juntar livros para montar uma biblioteca comunitária”, relata.

“Eu achava na rua, comprava no sebo. Geralmente eu ia na sexta-feira no Centro e comprava por R$ 1 ou R$ 2. Quando eu completei 20 anos, eu já tinha 90 livros e abri a biblioteca na palafita onde eu morava, em cima do lixo”, acrescenta.

O contato para doações à Livroteca Brincante pode ser feito através do telefone 3325-1444.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Baixe agora o app gratuito e cadastre-se: Android e iOS

Sugestões e colaborações: boaviagem@poraqui.news e (81) 98173-9108 (WhatsApp)



comment 7 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *