Especialista indica possibilidade de deslizamento na ladeira de Aldeia

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Sônia Medeiros

Preocupada com a situação do trecho da ladeira de Aldeia que tem sinais de afundamento, na altura do km 2, a moradora do bairro e economista Sônia Medeiros fotografou o local sob vários ângulos. A economista – que trabalhou por mais de dez anos apoiando equipes municipais de Defesa Civil em gestão de risco na Região Metropolitana, assessorada por professores e pesquisadores do Departamento de Engenharia da UFPE – enviou as imagens para a  especialista em solos da Universidade Federal do Cariri, Ana Patrícia Nunes Batista.

O parecer técnico da especialista demonstra que, diferentemente do que disse o Departamento de Estradas de Rodagem em matéria do PorAqui, há, sim, perigo de desmoronamento. O risco, segundo ela, é alto. Veja as fotos:

O solo está se desagregando
O solo está se desagregando bem na altura da barreira
Erosão sob a pista
As imagens mostram bem a erosão que está se formando sob o asfalto, tirando a sustentação da via
O trecho da estrada
O trecho da estrada, no km 2, onde apareceu uma fissura que o DER cobriu com asfalto
Estrada
Proteção do lado interno da via que dá acesso a duas escadarias tem sinal que indica infiltração de água na barreira propensa a instabilidade.

Confira na íntegra o parecer dado pela engenheira Ana Patrícia Nunes Bandeira:

“As imagens do trecho da pista na PE-27 indicam sinais de movimentação do subsolo.

O revestimento asfáltico, que embora seja flexível (suportando deformações), já apresenta indícios de movimentações além da admissível.

A calçada de concreto, na lateral da pista, se encontra com diversas rachaduras, o que favorece as infiltrações das águas de chuvas para a camada do subsolo, contribuindo com a remoção da camada de apoio do pavimento, devido processos erosivos.

Quando uma pista perde sua camada de apoio (base e sub-base), a mesma poderá sofrer deformações excessivas e até romper por não suportar as cargas advindas da superfície.

O trecho que apresenta uma tubulação exposta indica que a mesma já não tem a camada de apoio, devido ao processo de erosão avançada.

A tubulação está suspensa, com risco de romper a qualquer momento. Caso isso venha ocorrer, a pressão e a vazão da água poderão contribuir com deslizamentos de grande magnitude no local.

A situação atual dos fatores envolvidos (erosões na camada de apoio, infiltrações de água, ação de sobrecargas), juntamente com as ocorrências de chuvas intensas e prolongadas na RM-Recife, contribuem com a possibilidade de ocorrer deslizamento na área, que se apresenta situação de risco alto.

Ana Patrícia Nunes Bandeira
Dra. Engenheira com especialização em solo, colapsível e expansivo.
Formada na UFPE e hoje professora na UFCE”

 



comment 12 comentários

  1. Parabéns pela denuncia, mas a equipe poderia ter procurando o DER, ou mesmo a prefeitura, para ouvirmos o que eles tem a dizer. É realmente preocupante!!
  2. DER e Prefeitura já tem conhecimento,entretanto estão esperando uma tragédia para tomarem providências.Nos Parece que a responsabilidade é do DER,mas a Prefeitura poderia interferir solicitando do DER providências urgentes.
  3. A julgar pelas fotos, tanto a Estrada de Aldeia quanto a "garantia" do DER carecem de uma base. Parece que o DER não viu este trecho em que há erosão e onde fica no ar um cano da COMPESA. Um laudo técnico do DER sobre esse trecho especificamente seria bem-vindo.
  4. Grave denúncia que merece a nossa atenção e reação. Pretendo repercutir a notícia em todos os grupos que participo. Vou procurar pessoas que conheço e que possam influir na tomada de posições pelos órgãos (ir)responsáveis.
  5. Além desse trecho, na descida antes da lombada eletrônica existe rachadura na via do lado da Barreira que tem proteção de chapas de ferro. Salvo engano dos meus olhos.
  6. Hoje 1•de agosto, até agora nenhum órgão fez nada por esse trecho, que com essas chuvas que não para, tá cada dia pior, sou moradora do km 2, é pra passar por lá temos que dividir o espaço com os carros, vendo a hora de sermos atropelados. Absurdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *