Derrubada de árvores na Rua da Hora incomoda moradores da Zona Norte

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Fotos: Silvia Patriota/Facebook Arte: Caio Vieira/PorAqui

Mais uma vez, um serviço de poda executado pela Prefeitura do Recife tem causado polêmica nas redes sociais. Depois de ser questionado o extermínio de oitis na Conselheiro Portela, oportunidade em que o Ministério Público do Trabalho inclusive respondeu que estava realizando uma compensação, a poda do último domingo na Rua da Hora também foi questionada. Ambas as ruas ficam no Espinheiro, Zona Norte do Recife.

No grupo Direitos Urbanos do Facebook, Silvia Patriota colocou as fotos com a cobertura vegetal antes e depois da poda na Rua da Hora.  Já o administrador Fernando Holanda, que é morador das Graças, postou um vídeo realizado durante a poda e nesta segunda-feira (7) entregou um pedido de informações à Emlurb (Empresa Municipal de Manutenção e Limpeza Urbana).

Entre as questões do administrador de empresas, além da motivação da poda executada nas árvores da Rua da Hora no último domingo (6), também questões como o custo das podas e o número de árvores plantadas entre 2013 e 2016 no Recife.

Em resposta ao PorAqui, a Emlurb afirma que “a remuneração é por serviço concluído, ou seja, por árvore e não por volume de poda produzido. Não existe pagamento por peso. O trabalho é planejado e executado de modo que privilegie o bem-estar das árvores e a segurança da população. A Emlurb ressalta, ainda, que todos os serviços são realizados de acordo com laudos produzidos por técnicos especializados”.

Qualquer cidadão pode fazer um pedido de informações online à Prefeitura do Recife aqui. 



comment 3 comentários

  1. O bairro do Espinheiro, aonde moro, vem passando por uma verdadeira devastação do verde, mas não é uma exceção é a regra atual. As árvores outrora frondosas estão passando por podas drásticas e sem nenhum critério técnico, muitas vezes colocando em risco, pois desequilibram as mesmas, as deixando mais propensas a tombamento. O mote é desviar dos milhares de fios que enfeiam a cidade, seja energia, internet, telefone...etc. Nas calçadas não se deixam espaços para as raízes e troncos, as sufocam com cimento e/ou concreto. E a cada árvore retirada não há reposição de outra( na Rua Santo Elias foram 04 só esse ano), quando muito são colocados pequenos arbustos que quase não dão sombras. Já não bastam os prédios nas alturas que enfeiam a cidade. O poder público junto com moradores insanos vão deixar nossa cidade cada dia mais cinzenta e sem vida.
  2. O bairro do Espinheiro, aonde moro, vem passando por uma verdadeira devastação do verde, mas não é uma exceção é a regra atual. As árvores outrora frondosas estão passando por podas drásticas e sem nenhum critério técnico, muitas vezes colocando em risco, pois desequilibram as mesmas, as deixando mais propensas a tombamento. O mote é desviar dos milhares de fios que enfeiam a cidade, seja energia, internet, telefone...etc. Nas calçadas não se deixam espaços para as raízes e troncos, as sufocam com cimento e/ou concreto. E a cada árvore retirada não há reposição de outra( na Rua Santo Elias foram 04 só esse ano), quando muito são colocados pequenos arbustos que quase não dão sombras. Já não bastam os prédios nas alturas que enfeiam a cidade. O poder público junto com moradores insanos vão deixar nossa cidade cada dia mais cinzenta e sem vida.
  3. Ontem , dia 21 de outubro de 2017, presenciei a poda de quatro árvores na Rua do Amapá, Espinheiro aparentemente sem a menor justificativa .... A rua vai ficar ensolarada, devastada e as casas de frente ao poente vão sofrer com o sol .... Porque não apenas uma poda para preservar e controlar o crescimento ???? Qual o motivo destas podas ?????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *