Vídeo: Francisco Brennand fala dos mundos do fotógrafo Isaias Belo, vizinho e amigo

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Por Natália Dantas, do PorAqui

Morador da UR-7, na Várzea, há 40 anos, um dia o fotógrafo Isaias Belo encontrou com seu vizinho mais ilustre, o escultor, pintor e ceramista Francisco Brennand. O encontro, que foi há 16 anos, resultou em uma parceria que dura até hoje. 

Atualmente, Isaias é o fotógrafo que documenta as obras e os processos do artista em sua oficina. A técnica? A fotografia em lata, mais conhecida como pinhole, que não utiliza lentes, mas sim um pequeno orifício por onde passa a luz, e se apoia nos princípios básicos da arte fotográfica e da câmara obscura: luz e projeção de imagem.

No próximo domingo (7), Isaias Belo lança, na Oficina de Cerâmica Francisco Brennand, o livro Como uma Pedra. A publicação bilingue, com apresentação do escritor Fernando Monteiro, retrata em pinhole o processo de criação da Imaculada Conceição, esculpida por Brennand em pedra, e das etapas de construção do templo que a recebeu.

Além do coquetel de lançamento do livro, o evento também vai contar com um bate-papo com o editor da publicação, o fotógrafo Mateus Sá, e o designer do projeto, Damião Santana, a partir das 14h. 

O PorAqui conversou com Isaias Belo e com Francisco Brennand sobre o encontro entre os dois artistas, o trabalho de documentação das obras e o resultado obtido em Como uma Pedra.

CONFIRA O VÍDEO COM FRANCISCO BRENNAND:

CONFIRA A ENTREVISTA COM ISAIAS BELO:

PorAqui – Isaias, como aconteceu essa aproximação com Francisco Brennand?

Isaias – Então, em 2001 eu dei uma oficina de foto na lata pra uns jovens da minha comunidade.  Abordando a ecologia, no meio da oficina eu marquei com os alunos para fazermos um mutirão ecológico, a ideia era ir até a Oficina Brennand, por dentro da mata, pegando lixo. 

Chegando em frente à Oficina, os funcionários foram falar para o Brennand que uns jovens estavam no local realizando uma ação ambiental, então ele mandou todo mundo entrar pra conversar.  Ele falou que estava muito honrado em ver jovens preocupados com a natureza e esse foi nosso primeiro contato.

PorAqui – E como vocês começaram a trabalhar juntos?

Isaias – No ano seguinte, 2002, elaborei um projeto de oficina para realizar na escola municipal da UR-7, levei para o Brennand e ele financiou.  No meio das aulas, levei as crianças até a Oficina Brennand e lá começamos a fotografar. Brennand ficou curioso vendo as crianças fotografando com lata e mandou uma moça do educativo perguntar o que era aquilo. 

Falei que era a oficina que ele tinha patrocinado, onde era utilizada uma câmera artesanal feita com lata. Foi aí que ele conheceu a técnica do pinhole e começou uma longa viagem entre fotografia, pintura e escultura.

PorAqui – Qual foi o primeiro trabalho que você fez fotografando as obras dele especificamente?

Isaias – As primeiras experiências foram com as crianças, nessa oficina que resultou em uma exposição que rodou pela comunidade. Foi aí que me dei conta que poderia começar uma documentação fotográfica da Oficina Brennand só com essa técnica, que é o diferencial do trabalho de outros fotógrafos. Comecei em 2004, sempre mostrando ao mestre os resultados. Ele ficava encantado.

PorAqui – E qual sua motivação para fazer essas fotos? Por que você decidiu fazer esse trabalho de documentação das obras de Brennand?

Isaias – Eu tinha um sonho de me tornar um fotógrafo de natureza, fazer imagens de animais, mas abandonei a ideia quando comecei a fotografar com pinhole, em 2001, onde os elementos fotografados têm que estar parados. Retomei meu sonho de fotografar a natureza com os animais de barro de Brennnad. 

Fico observando as esculturas e o movimento do sol ao longo do dia. É um trabalho de sombra e luz.  E as esculturas estão lá, faça sol ou chuva.

PorAqui – E os planos para os próximos trabalhos? Já tem algo em mente?

Isaias – Documentei a Oficina em 2004, o Templo do Sacrifício em 2005 e a Imaculada Conceição em 2006, que é o processo que está registrado em Como uma Pedra

Recentemente acabei de documentar o memorial que ele fez homenagem ao pai, Ricardo de Almeida Brennand. Agora quero documentar o parque de esculturas, no Recife Antigo, e o mural da Batalha dos Guararapes, na Av. Dantas Barreto.

SERVIÇO
Lançamento do livro Como uma Pedra, do fotógrafo Isaias Belo

Oficina de Cerâmica Francisco Brennand
Domingo 07, a partir das 14h
Acesso gratuito com a apresentação do convite impresso: Convite para o lançamento de Como uma Pedra, de Isaias Belo.jpg


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: varzea@poraqui.news ou (81) 98173-9108 (WhatsApp)



comment 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *