Várzea lado B: 5 dicas imperdíveis para conhecer a Zona Oeste do Recife

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
(Foto: Natália Dantas/PorAqui)

O bairro da Várzea, na Zona Oeste do Recife, é muito mais do que os famosos museus da região, a proximidade com a Universidade Federal de Pernambuco, na Cidade Universitária, e o climinha gostoso de interior.

Para dar dicas certeiras, daquelas que só quem é do bairro tem, o PorAqui convidou o músico e cientista social George de Souza (38), morador do bairro há 32 anos.

(Foto: Ranna Santiago/Musicom)

Vocalista, compositor e guitarrista da banda de reggae N’zambi, George sempre está circulando pelo bairro, conhecendo gente e se envolvendo em novos projetos, que vão desde questões ligadas ao meio ambiente e à agroecologia até o Conselho Escolar da Escola Municipal de Arte João Pernambuco, onde foi recém-eleito representante da comunidade.

Confira as dicas, faça seu roteiro e conheça o melhor cantinho da cidade. 😉

Cachoeira da mata da Várzea
Localizada nas proximidades da comunidade da UR-7, ela é uma boa dica para visitar neste período de chuvas, quando as águas acumuladas geram uma deliciosa e refrescante queda d’água, além da belíssima trilha.

Em quantos bairros do Recife você consegue tomar banho de cachoeira? (Foto: Boi da Mata/Facebook)

A oportunidade é gerada nos encontros do Boi da Mata, que mensalmente realiza o seu cortejo pelo bairro da UR-7 e, durante o dia, realiza a trilha ecológica com autorização da família Brennand, que é quem administra o território.

Boi da Mata
Mensalmente, no terceiro sábado de cada mês, o Boi da Mata, um coletivo artístico ecopedagógico, realiza o seu cortejo. Na próxima edição, em agosto, o grupo vai dar início a uma horta comunitária. A brincadeira acontece desde 2010 e a concentração é na Rua Vale do Siriji, 22. A programação sempre é divulgada na página do Facebook do Boi da Mata.

O cortejo do Boi tem atividades, trilha e banho de cachoeira (Foto: Boi da Mata/Facebook)

Seu Adilson
É um senhor de aproximadamente 70 anos, militante antigo do bairro. Apesar de não se considerar um varzeano nato, atuou no bairro na década de 80, no Movimento de Cultura da Várzea, onde realizava atividades como feiras populares de artesanato, apresentações artísticas na praça, Acorda Povo, atividades de educação popular, e hortas comunitárias. Conversar com seu Adilson é mergulhar no passado da Várzea e entender como a atuação política e social de moradores no bairro é uma marca histórica desse local.

Sardinha na panela de pressão da Barraca da Arte
Prato típico varzeano, a sardinha na panela de pressão deixou o dono da Barraca da Arte, Renato, bastante conhecido pela iguaria. Renato já deu entrevistas para a televisão e seu prato já foi até indicado em programa de TV nacional sobre gastronomia de rua.

Renato é o responsável pela consagrada sardinha na pressão (Foto: Gastronomia de Rua/Reprodução)

O sucesso da sardinha da panela reúne no mesmo espaço artistas, moradores, trabalhadores, feirantes, estudantes e visitantes do bairro. A Barraca da Arte fica na Rua da Feira (Azeredo Coutinho), na esquina da Praça da Várzea.

Além da famosa sardinha, você encontra costela, sarapatel, caldinho e mais (Foto: Giselli Carvalho)

Festival de Inverno da Várzea
O FIV, como é conhecido, está entrando na sua oitava edição, e reúne artistas que se apresentam em dois palcos simultâneos, preenchendo a Praça da Várzea (Av. Afonso Olindense) de arte e cultura durante dois dias. Este ano, vai acontecer nos dias 25 e 26 de agosto. A festa é realizada pela produtora Magitot Casa Noble, liderada pelo mestre de capoeira Betão (o mesmo do Forró do Buraco do Cabelo!), que fez a primeira edição, há oitos anos, pra comemorar seu aniversário.

Em breve a programação do FIV será anunciada (Foto: Instituto Papai/Reprodução)

O festival gera renda para os comerciantes locais, além de receber visitantes dos mais variados lugares. Acompanhe o Facebook do Festival de Inverno da Várzea para ficar por dentro da programação.

LEIA TAMBÉM:

6 coisas que você não sabia sobre a Várzea

A linha de busão CDU (Várzea) e o bonde onde tudo começou



comment 4 comentários

  1. Sou da várzea e tinha um monte de coisas que eu não sabia! Bela pesquisa :)
  2. Excelente matéria, conteúdo muito bem produzido e com informações valiosas sobre o bairro da várzea.
  3. Muito boa a matéria, vocês também poderiam fazer uma matéria especial sobre o arruado, que fica dentro da ufpe e é mais conhecido como engenho velho. Seria muito importante também porque ali existem pessoas que conhecem o início e a história da várzea muito bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *