Made in Setúbal: Alexandre Guimarães, um ator legitimamente setubense

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
foto: acervo pessoal/Toni Rodrigues

Hoje (26) é dia da Virada Cultural do Teatro do Parque, e o PorAqui Setúbal, que começou ontem sua homenagem às artes cênicas do bairro com a história de Lua Rabelo, vem contar a história de um grande artista de teatro made in Setúbal: Alexandre Guimarães, nascido e criado aqui nas nossas terras.

LEIA TAMBÉM:

Projeto Hoje Tem Espetáculo em segunda temporada no Luiz Mendonça

Festival de Bolhas Gigantes no Lindu em setembro

O ator iniciou sua trajetória ainda em terras setubenses, quando tinha 13 anos e estudava no Colégio Elo. Participante do extinto projeto Arte Viva, Alexandre fez sua primeira apresentação no Festival de Teatro Amador para Crianças, no Teatro Barreto Júnior. “Fabiana Karla, a atriz global, era uma das melhores amigas da minha irmã e também fez sua primeira apresentação no mesmo festival que eu”, recorda.

Foto: acervo pessoal/Vinícius Vilela

Após se formar em Rádio e TV pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Alexandre trabalhou ainda alguns anos conciliando as duas paixões: o teatro e o rádio. Até que em meados de 2012, depois da formação no curso profissionalizante de artes cênicas do Sesc Piedade, Alexandre passou a se dedicar exclusivamente ao teatro, indo estudar no Rio de Janeiro e em São Paulo para aperfeiçoar suas técnicas.

A peça O Açougueiro foi o resultado dos anos de estudo do ator. O monólogo passou por 8 estados e participou de diversos festivais de teatro pelo Brasil. “Foi em um festival em Curitiba que tive o maior reconhecimento. Depois disso, senti que o pessoal aqui do Recife me percebeu na cena artística. Recebi críticas muito boas e foi minha oportunidade de trazer o trabalho de volta para o Recife, dessa vez com muito mais alcance”.

Foto: acervo pessoal/Alexandre Guimarães

Alexandre se apresentou  recentemente no Festival de Inverno de Garanhuns e já passou por Setúbal com sua peça em 2016. Foi um mês de apresentações nas sextas, sábados e domingos. “Para um monólogo, resultado de um projeto autoral, foi realmente uma surpresa conseguir toda essa visibilidade no Luiz Mendonça, um teatro que ganha muito por estar dentro de um parque e conseguir agregar várias pessoas”.

“Eu brinco que nasci no suvaco de Boa Viagem. Setúbal é diferente, é algo ainda pé no chão. O povo se cumprimenta mais, se conhece mais. Minha maior vontade é de voltar a morar no bairro”. Atualmente, Alexandre mora há um ano e meio no Rio de Janeiro e se dedica exclusivamente à carreira de ator.

Virada Cultural do Teatro do Parque

Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Não é no nosso bairro, mas vale a pena nossa atenção: o Teatro do Parque, que completou 102 anos de fundação no último dia 24, vai receber a Virada Cultural em prol da sua reabertura neste sábado (26). Fechado desde 2010, a situação atual do Teatro do Parque é alvo de constantes críticas pela displicência do poder público perante um dos teatros mais antigos da cidade. Sem previsão de reabertura, o caso segue sendo passado de mão em mão.

A virada cultural vai contar com 12 horas ininterruptas de muita atividade artística, entre as 10h e as 22h. Serão quatro polos principais de apresentações, apelidados carinhosamente de “parques”. A programação completa você pode conferir aqui:

PARQUE HENRIQUE CELIBI (Palco Principal)
10h – Leitura do Manifesto em prol da reabertura do Teatro do Parque com
cerimônia de lavagem da calçada e cantos de prosperidade com Otiba.
10h (Circo) – Malabares com a Família Malanarquistas – Marciano Pretinho
das Antenas Longas.
10h25 (Circo) – Intervenção de Palhaçaria (Companhia Brincantes de Circo).
Boris Trindade
10h35 (Dança) – Pantomima, Danillo Dannti, Jay Figueredo, Lily Vidal e Kelson
Tavares.
11h05 (Circo) – Dois em Cena
11h15 (Música) – Arteligados
11h45 – Leitura do Manifesto (2)
12h (Dança) – Terezinha com Rebeca Gondim
12h20 (Música) – Luísa Pérola do Samba e Trio Buteko, Ruy Ribeiro e
Lucinha Guerra.
12h50 (Teatro) – Politicamente Vos Digo, Abarca-me
13h20 (Música) – Alexandre Seixas, Mayra Clara.
13h40 (Dança) – Step Evolution, Funknáticos e Grupo Acaso
14h10 (Teatro) – Totem (Nem Tente)
14h30 (Dança) – Academia Fátima Freitas
14h40 (Música) – Pau de Dar em Doido, Os Carlton.
15h10 (Música) – Os Caetanos
15h30 (Circo) – Violetas da Aurora
15h50 (Música) – Catharina Dee Jah (MC Ririca)
16h10 (Teatro) – Três Tristes Gregas – Metraton Produções
16h30 (Dança) – Maria Paula Costa Regô e Alê Carvalho com convidados
17h (Teatro) – Cênicas – Cia de Repertório
17h10 (Dança) – Sheylla Cavalcanti e Jaqson Gomes
17h20 (Dança) – Hélder Vasconcelos e Studio Viégas
18h40 (Teatro) – Ópera do Sol – Galharufas Produções
19h (Dança) – Cia de Dança Ferreiras e Amanda Lima
19h10 (Teatro) – Santo Genet e as Flores da Argélia – Cênico Calabouço
20h10 (Dança) – Flávia Pinheiro e Carolina Bianchi; Dielson Pessoa.
20h20 – Sarau da Boa Vista
21h – Leitura do Manifesto (3)
21h10 (Teatro) – Adriano Cabral, Ana Ferro, Senhora de Engenho, Entre a
Cruz e a Torá e Risoflora

PARQUE SOM NA RURAL
16h40 – Juvenil Silva e Marília Parente
17h30 – JCarlos
17h40 – Quilombro
18h – Café Tinto
18h20 – Dinho Negaba
19h30 – Cássio Sette
19h40 – Banda Boa Hora, Raphael Souto
21h40 – Mônica Feijó e Clayton Barros
22h – Griô
22h20 – STR
22h40 – Ivo e Banda
23h – Hélder Vasconcelos
23h20 – Clayton Barros , Canibal e DJ Dolores com intervenção de Água Dura

PARQUE POÉTICO CLARICE LISPECTOR
10h20 – Abertura
10h35 – Miró da Muribeca
10h50 – Monólogo de Frei Caneca com Buarque de Aquino
10h05 – Alisson Fernando (inscrição para microfone)
11h30 – Microfone Aberto
12h – Poesis
12h30 – Michelli Amorim
12h40 – Henrique Andrade
12h50 – Oséas Borba Neto
13h – TrupeArteNaMochila
13h10 – Beto Mix (inscrição para o microfone)
13h20 – Microfone Aberto
14h – Valmir Jordão
14h10 – Tonfil
14h30 – Lenemar Santos
14h40 – Leitura do Manifesto
14h50 – Auzeh Freitas
15h – Fred Caju
15h20 – Tempo para os poetas do Sarau da Boa Vista
15h40 – Rodrigo Santos (inscrição para o microfone)
15h50 – Microfone Aberto
16h10 – Rômulo Moraes (Sociedade dos Poetas Bebados)
16h20 – Carlos Mesquita (Cia. de artes integradas Literatrupe)
16h30 – Sidney Nicéas
16h40  Inscrição para o microfone
16h50 – Microfone Aberto
17h10 – Aldy Marcelo
17h20 – Aninha Barbosa
17h30 – Controverso Urbano
Leituras do Manifesto feita por inúmeros artistas , incluindo José Pimentel ,
Bruno Garcia , Irandir Santos e muito mais!

PARQUE FIRMO NETO
A partir das 19h, exibição de curtas:
My Way (Camilo Cavalcante)
Cores Femininas (MAPE)
Mulher(es)pelhos (Coletivo Mulheres Espelhos)
Calma, Monga, Calma  (Petrônio de Lorena)
Faço de Mim o que Quero (Petrônio de Lorena e Sergio Oliveira)
O Veio (Adelina Pontual)
Gira (Kátia Mesel)
Especulações S.A. (Erlânia Nascimento)
Arretadas (Synara Veras)
Teatro do Parque, da Glória ao Caos (Thiago Feliciano)
Somos Todos Jaqueline (Anina Dias)
Garotas da Moda (Tuca Siqueira)
Finito (Myriana Albuquerque)
Oula (Visto Permanente)
Santa Mala (Visto Permanente)

Atividades Paralelas para colorir a Rua do Hospício durante as atrações:

MANHÃ (a partir das 10h)
– Contação de História com Thaís Botelho e Beth Cruz.
– Performances
– Performance fixa – Cuidado: Humanos (Simone Santos e El Maria)
– Urubu no Parque, com Leonardo Leitão (baseado em Franz Kafka)
– La Caterina ronda o Parque – do Viva La Vida- Atriz Milan Cavalcanti

TARDE
– Pernas de Pau da Escola Pernambucana de Circo
– Cia. de acrobacia aerea Penduricalho (os tecidos serão pendurados nas
árvores em frente as Casas Bahia
– Malabares com Delmar Camilo
– Artesanato: GRUMAI (Grupo de Mulheres Artesãs Independentes)

 

 



comment 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *