Protótipos criados em laboratório do Porto Digital são destaque em competição nacional

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Quatro protótipos desenvolvidos no Laboratório de Objetos Urbanos Conectados (L.O.U.Co) do Porto Digital, em parceria com o Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foram destaques na Competição de Sistemas Embarcados – WND IoT Challenge, conquistando dois dos três primeiros lugares da premiação. A competição aconteceu durante o VII Simpósio Brasileiro de Engenharia de Sistemas Computacionais, realizado na última semana em Curitiba, no Paraná.

Porto Digital vence prêmio nacional de revitalização de patrimônio histórico

O evento foi realizado pela Sociedade Brasileira de Computação e contou com mais de 90 projetos inscritos na premiação. MarkMe, G.R.O.O.T e iMaca foram os protótipos premiados.

O protótipo MarkMe funciona como um sistema gerenciador de encomendas e conquistou o primeiro lugar na competição. O MarkMe foi  desenvolvido pelos estudantes Michael Barney, Jonathan Kilner e Caio Moreira Gomes. Já o terceiro lugar foi para o projeto G.R.O.O.T, liderado pelo trio de estudantes Ladson Gomes, Mariana Barros e Thiago Silva. O G.R.O.O.T é um protótipo de um sistema de agricultura para analise de soja.

Além disso, outro projeto desenvolvido no L.O.U.Co ganhou a categoria de Melhor Projeto de Equipe Feminina. O protótipo iMaca, desenvolvido pelas estudantes Laís Bandeira, Gabriela Alves Rodrigues e Maria Júlia Feitosa da Carvalheira, consiste em uma maca capaz de analisar batimentos cardíacos, temperatura, altura e possíveis focos de sangramento no paciente. A maca inteligente também encaminha todos os dados para o hospital que aguarda a chegada do paciente, em tempo real.

Para Laís Bandeira, estudante de Engenharia da Computação e uma das idealizadoras do iMaca, participar do evento e conquistar a premiação foi um incentivo a mais para continuidade do projeto.

“É um reconhecimento do nosso trabalho, da nossa pesquisa, que acaba incentivando a gente a pensar mais no mercado e menos na parte acadêmica, teórica. Além disso, nos estimula também a pensar mais em como ajudar a sociedade com o que estamos aprendendo teoricamente”, conta a estudante.

Além dos três projetos premiados, o protótipo TarmpSys recebeu uma Menção Honrosa. O protótipo, desenvolvido por Heitor de Castro, Diogo Azevedo e André Sales, atua como um sistema de contagem e monitoramento de armadilhas, no modelo OviTrampas, utilizadas contra Mosquitos Aedes Aegypti.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *