Em ‘Assucar’, Ricardo Labastier expõe contradições da formação brasileira

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
(Foto: Ricardo Labastier)

O doce e o amargo do açúcar. O pulso de viver e as agruras embebidas em sangue, paixões, ira e violência que o vermelho simboliza. Metáforas que dizem muito a respeito das contradições da formação social brasileira.

Assucar é o nome da exposição do fotógrafo Ricardo Labastier, que será lançada nesta terça (14), a partir das 19h, na Arte Plural Galeria, no Bairro do Recife (hoje, em vernissage para convidados). Nela, a monocultura da cana-de-açúcar serve de base para revelar a troco de que -para ao bem ou para o mal – foi edificada nossa sociedade.

(Foto: Ricardo Labastier)

São 17 trabalhos produzidos desde 2015, onde materiais diversos eram utilizados para criar as imagens, e a fotografia sendo plataforma de registro final desse resultado. O que se vê em Assucar é o caráter colonialista, predator e sanguinário que estão intimamente ligados ao que foi o caminho seguido pelo açúcar para alimentar um mercado que sustentou o Nordeste por alguns séculos como a economia mais forte no País.

(Foto: Reprodução/Acervo JC IMagem)

O vermelho que permeia a exposição traz, em si, sentidos controversos: o calor humano, a paixão, mas, também, o sangue derramado e a violência a que eram submetidos aqueles que deram suas vidas para que essa economia prosperasse.

“Essa mistura e contrastes são o retrato do Brasil, formado sob o tom de extremos, sob o sangue de índios e negros, com o fervor do catolicismo e da religiosidade africana”, diz Labastier.

(Foto: Ricardo Labastier)

Símbolos como armas, terços e moedas, numa ampla representação cultural da religião, das conquistas, festas e poder compõem as imagens criadas, que perpetuam nosso imaginário e nossa identidade como povo, como nação, até os dias de hoje.

SOBRE O AUTOR – O olindense Ricardo Labastier nasceu em 1972. Começou na fotografia aos 18 anos. Aos 23, seu trabalho foi selecionado para integrar o I Salão Nacional de Fotografia da Paraíba. Desde então, atua no cenário nacional e internacional de fotografia realizando suas experiências artísticas e editoriais.

Faz parte da Coleção Pirelli/Masp de Fotografia Brasileira (MASP) e MAMAM – Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, além de acervos particulares. Já participou como convidado em diversos festivais de fotografia na Espanha, Holanda, Bélgica, Uruguai, São Paulo e Minas Gerais e outros locais.

Em 2015, esteve na Arte Plural com a mostra Abismo da Carne, sua primeira exposição em Pernambuco, sua terra natal. A mostra já havia passado pela DOC Galeria (São Paulo) e, também, pelo festival FOTOGRAMA:13, de Montevidéu (Uruguai), e o Festival de Fotografia de Tiradentes (MG). O projeto foi contemplado com o XIII Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia (2013) e resultou no livro Abismo da carne (Olhavê/Tempo d’Imagem, 2014).

SERVIÇO
Exposição Assucar de Ricardo Labastier
Arte Plural Galeria | Rua da Moeda, 140, Bairro do Recife
Abertura: 14 de novembro, às 19h (para convidados)
Visitação: de 15 de outubro a 23 de dezembro (terça a sexta, das 13h às 19h; sábados, das 16h às 20h
Entrada franca.
Informações: (081) 3424-4431

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *