Seu Natanael, o jardineiro encantado da Praça Marcílio Dias, em Olinda

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
fotos: Rui Gonçalves

“O jardineiro conversava com as flores, e elas se habituaram ao diálogo”. É assim – como no trecho do poema de Carlos Drummond de Andrade – que o aposentado Natanael Alexandre Marinho, 78 anos, se dedica, há mais de 20 anos, à manutenção da Praça Marcílio Dias, em Rio Doce, Olinda.

Ele enxerga nas flores a companhia para a alma. Graças à missão, ficou conhecido como o Jardineiro da Praça Marcílio Dias.

(foto: Rui Gonçalves)

Dono de um sorriso largo e de um humor invejável, Seu Natanael foi obrigado – pelas condições físicas e de saúde – a abandonar os canteiros. Em 2008, fez uma carta a próprio punho entregando a missão de cuidar da praça à Prefeitura de Olinda. Questionado sobre o que o motivava a cuidar das plantas, a resposta é clara: “gratidão”.

“Eu sou alcoolista. Perdi muita coisa na minha vida. Sofri muito por causa do meu vício. Aqui, nessa praça, encontrei um novo sentido. Através do grupo de Alcoólicos Anônimos (AA), ganhei um novo sentido. E não tinha melhor maneira de retribuir do que tornar a vida de outros mais bonita. Então resolvi cuidar das rosas, das flores, que tornam esse lugar especial”, conta, emocionado.

Mesmo com as limitações físicas, Seu Natanael continua indo à praça. Agora para transformar seu patriotismo em ato concreto. Todos os dias, ele acorda às 5h para hastear a bandeira do Brasil.

“É um ato de amor. Um dos dias mais emocionantes da minha vida foi quando a Marinha tomou conta desse lugar. Aqui é um dos poucos lugares que homenageiam Marcílio Dias, um grande guerreiro brasileiro”, relata. Apesar de ter mudado de ofício, quem passa pelo local encontra Seu Natanael e o cuidado com as flores.

Os olhos marejados retratam que não é só o patriotismo que o motiva a estar todos os dias no seu “cantinho” de Olinda. “Eu amo esse lugar. Já vi muita gente passar por aqui. Mas esse lugar é um pedaço de mim”.

– O senhor trocaria de cidade, Seu Natanael?
– De jeito nenhum! Aqui é o meu lugar. 🍀

Lá vem Vai-Vai, seu sininho e o picolé recheado de história em Olinda



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *