Moradores pressionam por revitalização da Praça do Carmo. Hoje (9) tem audiência

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

O fechamento com tapumes do coreto da Praça do Carmo, na entrada do Sítio Histórico de Olinda, reacendeu, no mês passado, o debate sobre a construção e manutenção de uma praça histórica ativa. Um grupo de moradores se juntou para montar um abaixo-assinado na missão de pressionar o poder público.

Hoje (segunda, 9) haverá uma audiência pública na Câmara Municipal da cidade, às 19h, na Rua 15 de Novembro, 93, no Varadouro. Os pedidos vão desde colocação de lixeiras e banheiros até retirada de equipamentos indevidamente instalados no local.

O grupo – formado por gente que mora nos bairros do Carmo, Varadouro, Amparo, Bonsucesso, Guadalupe, Sé, Amaro Branco, entre outros – argumenta que a praça é a principal área de lazer e a única área parque da cidade patrimônio. É onde as famílias se reúnem de maneira gratuita, principalmente nos fins de semana.

A lista de solicitações é ampla e altamente pertinente. São 12 pontos:

1. No mínimo 30 lixeiras de 30 L;

2. Revitalização, conserto e manutenção dos dois parquinhos e seus equipamentos e renovação da areia;

3. Limpeza e capinação do lago artificial e sua revitalização;

4. Conserto das três pontes de madeira que cruzam o lago;

5. Disponibilizar banheiros públicos ou químicos com sinalização e limpeza diária;

6. Iluminação do parque e revisão da fiação. Foram detectadas tomadas clandestinas e postes sem luz ou com cabos soltos;

7. Pavimentação das calçadas quebradas e conserto das grades que contornam a praça, assim como aquelas que são parte dos esgotos da praça;

8. Capinar e podar a área verde com maior frequência em toda a zona por trás da casa da Ciatur;

9. Correto e regulado uso do espaço público pelos empreendedores evitando ocupações indevidas dos espaços de lazer e livre circulação;

10. Conserto e instalação de mais bancos de descanso;

11. Revitalização e melhoramento da área de ginástica;

12. Retirada de tendas, barracas fixas, móbiles, carros, carroças, entulhos, entre outras estruturas, assim como de todo equipamento indevidamente instalado, evitando criação de espaços de ocupação e armazenamento ilegal.

O documento foi assinado por 15 cidadãos (no total 240 moradores), juntamente com um DVD com fotos da praça.

Júlio, o violinista que toca Bach na Praça do Carmo, em Olinda



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *