Moradores curtem Praça do Hipódromo, mas comerciante pede mais segurança

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Colaboração/Andreza Vasconcelos

Com uma população de pouco mais de 2.500 pessoas segundo o último censo e uma área bem pequena – o equivalente a cerca de 32 campos de futebol, o Hipódromo abriga um verdadeiro oásis para os seus moradores: a Praça Tertuliano Feitosa, a menina dos olhos da comunidade. O espaço, que ocupa 12 mil metros quadrados, é o elo de ligação entre os vizinhos que tem certeza de que “sem a praça, a vida seria bem diferente”.

Embora abrigue um bonito jardim, nem tudo são flores para os usuários da Praça do Hipódromo. A insegurança é uma constante, inclusive, para comerciantes do local. “Eu vendo coco aqui há 30 anos e minha barraca já foi arrombada três vezes”, afirmou José Silva Freitas, dono de um comércio no entorno da Praça. “Eu não entendo um lugar tão bonito, turístico até, não ter fiscalização ostensiva”, comentou, referindo-se ao fato de os poucos vigilantes não estarem armados.

LEIA MAIS

Escola Clóvis Beviláqua é orgulho do Hipódromo

Cinco colônias de férias para deixar as crianças nestas férias

Clínicas populares trazem qualidade e preço justo

“Eu nunca soube de assalto por aqui, mas toda tarde vemos muitas crianças e adolescentes tomando banho no lago. Não pode”, comenta a moradora Ana Lúcia Rodrigues. Além da vigilância municipal, responsável pelo local, há na praça um posto de policiamento.

Ana Lúcia e Elizabeth Cahú curtem a Praça do Hipódromo (Foto: Colaboração/Andreza Vasconcelos)

A área de lazer possui grande variedade de espécies vegetais: amendoeiras, mangueiras, mulungus e palmeiras, e algumas de animais: tartarugas e peixes no seu lago central; e até uma garça solitária, visitante assídua da praça. “Ela vem comer os peixes. Todos os dias está aqui, sozinha, desfilando”, contou Ana Lúcia, que mora no bairro há 30 anos.

Ela conta que graças ao espaço de lazer muitas relações de amizade entre vizinhos foram criadas e permanecem até hoje. “Nós somos amigos porque lá atrás, há quase 20 anos, começamos a caminhar ao redor da praça. De lá pra cá, formamos um grupo, viajamos, fazemos ginástica, festas, tudo na Praça”, contou ela, que utiliza a Academia da Cidade que funciona no local diariamente.

Segundo a moradora, houve uma época que as festas de São João, Natal e Réveillon dos vizinhos aconteciam dentro da Tertuliano. “A gente pedia e a Prefeitura interditava a rua. Montávamos um palco e era só alegria”, contou, explicando que depois que seu marido faleceu, não teve mais quem organizasse tudo.

Além da cobertura vegetal, animais costumam visitar o espaço de lazer (Foto: Colaboração/Andreza Vasconcelos)

“Eu gostaria de usar mais, mas faço apenas caminhadas aos finais de semana”, afirmou Elizabeth Cahú, moradora do bairro há três anos. “Todos os dias vejo as pessoas fazendo ginástica, correndo, jogando dominó. Todo mundo por aqui.”

A Academia da Cidade abriga uma academia de musculação com equipamento novo, além disso a praça tem áreas reservadas para a prática de exercícios físicos e para a diversão infantil, aulas de frevo aos sábados e várias mesas para jogos de dominó, damas e xadrez, que são usadas diariamente por grupos de aposentados.

O entorno da Praça do Hipódromo é uma Zona Especial de Preservação do Patrimônio Histórico-Cultural (ZEPH), com legislação rigorosa. Os parâmetros urbanísticos de uso e ocupação do solo são bem detalhados e têm por objetivo garantir os aspectos originais dos imóveis. É por essa razão também que estabelecimentos comerciais precisam de autorização especial da prefeitura para serem implantados na área, de acordo com a Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife (Semoc).

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *