Como o jiu jitsu tem mudado a vida de crianças carentes no Poço da Panela

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Antonio Pinheiro/divulgação
Há cerca de quatro meses, o bairro do Poço da Panela, na Zona Norte do Recife, tem sido palco de uma iniciativa voluntária importante. A Associação dos Moradores do Poço da Panela (Amapp) se uniu à Associação Andrade de Jiu Jitsu e ao Colégio Murakami para promover aulas gratuitas da arte marcial para crianças e adolescentes de baixa renda, moradores do Poço e de comunidades próximas.

O trabalho social tem como professor o atleta Alberto Campos, que recentemente conquistou a faixa marrom de jiu jitsu. No projeto, ele dá aulas para crianças de 5 a 15 anos de idade.

A partir dos 16 anos, a ideia é que os jovens sejam direcionados para continuar a formação na arte marcial dentro da Associação Andrade, onde poderão se aperfeiçoar e também, caso desejem, retribuir a ajuda recebida auxiliando outras crianças.

Foto: Antonio Pinheiro/divulgação

As aulas no Poço da Panela acontecem duas vezes por semana, nas segundas e quartas à noite, no Colégio Murakami, que cedeu o espaço e a estrutura necessária para a realização das aulas. Assim, os jovens contam com ambiente climatizado, bem iluminado e seguro.

 “Estamos usando o melhor tatame que existe graças à doação de um empresário, que preferiu anonimato. Além disso, foi feita uma vaquinha no grupo da AMAPP junto com outros amigos e familiares para comprar os kimonos”, conta Alberto Campos.

 Atualmente, cerca de 30 crianças frequentam as aulas, que acontecem em dois horários, o primeiro para as crianças menores e o segundo para os adolescentes.

Voluntários se reúnem em Casa Forte para ajudar moradores de rua

De acordo com Alberto, são crianças de alto risco social. “Algumas passam o dia todo na rua. Existe todo um histórico que precisa ser trabalhado”, aponta.

“Já precisei separar duas brigas com murro durante as aulas. Não estou ali pra formar pessoas pra dar porrada nos outros. A ideia é resgatar a imagem de respeito do jiu jitsu, envolver as crianças pelo lado espiritual da arte marcial. Levo sempre discussões sobre honestidade, lealdade, respeito, hierarquia”, explica.

Foto: Antonio Pinheiro/divulgação

Para participar do projeto, as crianças devem se enquadrar em alguns requisitos, como ser de baixa renda, estar cursando regularmente a escola pública e ser moradora do Poço da Panela ou adjacências.

SERVIÇO
?Colégio Murakami (Rua Luiz Guimarães, 207, Poço da Panela)



comment 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *