Chico do Guaiamum: um patrimônio vivo do Poço da Panela

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Marina Suassuna/PorAqui
“Dizer que conheceu o Poço da Panela, mas não comeu um guaiamum nem tomou uma cerveja em Seu Chico, então você não conheceu verdadeiramente o Poço”. É assim que Antonio Pinheiro, morador do bairro da Zona Norte do Recife, define o tradicional Bar do Chico, localizado na esquina da Rua dos Arcos com a Rua Luiz Guimarães, quase em frente à casa do artista plástico Joelson Gomes.
Há mais de 20 anos, Francisco Manoel da Silva, o Seu Chico, abre as portas de seu estabelecimento religiosamente, de domingo a domingo, sempre por volta das 9h. Lá, os vizinhos se abastecem não só de uma boa cerveja e de uns bons petiscos, como também dos pratos feitos – os famosos PF’s – e dos guaiamuns, o motivo de sua clientela fiel.
“Por onde você chegar aqui perguntando por Chico do Guaiamum, todo mundo me conhece”, diz o proprietário de 63 anos, um senhor bastante amigável, amante de uma boa prosa.

Foto: Marina Suassuna/PorAqui

No Bar do Chico, você consegue almoçar por apenas R$ 12 e pode escolher entre os PF’s de galinha guizada, galinha cabidela, sarapatel, quiabada, mão de vaca, buchada e tilápia. Os guaiamuns variam de acordo com o tamanho. Tem de R$ 5, de R$ 7, de R$ 8 e por aí vai… Todo o cardápio é preparado pelo próprio dono, que no dia da entrevista ao PorAqui, passou a madrugada preparando a buchada, um dos pratos mais procurados.
“Seu Chico é um patrimônio vivo do Poço da Panela. A casa dele, a pessoa dele e o que ele oferta dentro do bar traz muito a cara de interior. Além de comer um guaiamum e tomar uma cerveja, é uma ótima oportunidade de você sentir o clima bucólico do bairro e também escutar um pouco a história do Poço”, diz Antonio.

Foto: Marina Suassuna/PorAqui
Entre os mitos do bairro que o proprietário mais gosta de contar estão os que envolvem fantasmas e escravos. Ele também lembra com saudade do São João de antigamente, quando fazia uma das maiores fogueiras da rua, que ainda era de barro e não passava carro.
“No início, aqui era um botequinho, eu atendia as pessoas na calçada. Depois é que fui me ajeitando e aumentando o espaço”, conta ele, que é tio de Tal, dono da hamburgueria mais popular do Poço da Panela , que já saiu no PorAqui.

Foto: Marina Suassuna/PorAqui
“Tive experiência em vários restaurantes e depois como vigilante. Quando eu sai do meu último emprego, fui procurar serviço, mas ninguém quis me dar mais trabalho porque eu tava com 40 anos. Foi com o dinheiro das contas que eu abri isso aqui e não sai mais pra nada. Sair pra quê? Um lugarzinho bom desse”, conta Seu Chico, que apesar da tradição boêmia, não bebe.

É mais fácil encontrá-lo na cadeira de balanço, curtindo o sossego do ambiente, que é cercado de plantas e passarinhos, ou na cozinha, enquanto William, seu ajudante, se encarrega do atendimento.

Serviço
Bar do Chico (Rua Luiz Guimarães, 152, Poço da Panela. Entrada pela Rua dos Arcos)
Funcionamento: de domingo a domingo, a partir das 9h até ao último cliente
Como chegar:



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *