Apipucos teve a primeira companhia de transportes públicos do Recife

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Desenho: Percy Lau/Reprodução

Você sabia que os primeiros transportes públicos do Recife surgiram no bairro de Apipucos, vizinho ilustre de Casa Forte, Zona Norte do Recife?

Em 1840, o bairro era ponto de encontro da burguesia aristocrática, que buscava na localidade os prazeres do campo, os banhos no Capibaribe e o clima ameno, bastante propício aos encontros e desencontros amorosos. A procura pelo povoado levou à melhoria das estradas, sendo instalada no local a primeira companhia de transportes públicos, explorada pelo inglês Thomas Sayle, em 1841. Depois, um morador de Apipucos chamado Cláudio Dubeux assumiu o o serviço.

LEIA TAMBÉM:

Conheça a história de Anna Paes, dona do Engenho Casa Forte

Os primeiros transportes coletivos eram carruagens puxadas por cinco cavalos, com capacidade para aproximadamente 20 passageiros na parte interna. Também haviam assentos na lateral e na parte de cima, que era bastante disputada nas noites de luar.

Apipucos em 1878 – Litografia de F. H. Carls

O transporte começou a circular em 1852, com roteiro partindo da Rua da Cadeia, no Centro, até Apipucos. O percurso incluía os bairros de Santo Antônio, Manguinho, Casa Forte, Monteiro e Apipucos. De acordo com a pesquisadora Lúcia Maria Veras, no livro De Apé-Puc a Apipucos, os anúncios da viagem proclamavam: “Banhos amenos no Capibaribe – bilhetes no escritório de Cláudio Dubeux.”

Segundo ela, “a possibilidade de ir ao subúrbio de forma tão rápida acelerava os passeios em fins de semana e facilitava o transporte das famílias veranistas nos finais de ano para o Passadio de férias, estendendo a temporada até o início das chuvas no ano seguinte.”

A evolução

No entanto, as épocas chuvosas eram intensas em Apipucos, impossibilitando o transporte de Cláudio Dubeux de transitar livremente e com conforto nesse período. Além disso, o excesso de passageiros somado ao pequeno número de viaturas e o alto preço das passagens contribuiu para que o transporte perdesse adesão e logo fosse relegado ao esquecimento.

Em 1861, um lei provincial concedeu licença ao próprio Cláudio Dubeux para que instalasse uma companhia de trilhos urbanos do Recife até Apipucos. Isso não foi efetivado. Mas, em 1863, a concessão foi dada à firma inglesa Brazilian Street Railway Company Limited, formada por ingleses e brasileiros, mas lideradas pelos britânicos.

Linha férrea no bairro da Boa Vista, por onde circulava a maxambomba até Apipucos – Foto: Benício Dias/acervo Fundaj

Com apoio da elite local, principal beneficiária do novo transporte, a empresa inaugurou, em 1867 o primeiro trem urbano do Brasil, conhecido como maxambomba. A linha funcionou como companhia chamada Trilhos Urbanos do Recife a Apipucos, ligando a região portuária do Recife até o bairro da Zona Norte.

A maxambomba circulou até 1920, sendo substituída pelo bonde elétrico, que facilitou o transporte de mais pessoas para Apipucos. No entanto,  “com a introdução dos banhos de mar no início do século 20, o povoado de Apipucos deixa de ser um balneário e se consolida como lugar de moradia fixa”, observou Lúcia Veras em reportagem ao Jornal do Commercio de 2000.

 



comment 4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *