Praticantes de esportes reclamam de violência e pouca iluminação na orla de Boa Viagem

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Mover Assessoria Esportiva/Facebook

Grande campo de prática esportiva, a orla de Boa Viagem abriga inúmeros grupos de treinamento funcional e de corrida ao longo do dia. Mas é no horário noturno onde moram dois problemas para quem tenta manter a vida saudável: a falta de iluminação destinada à faixa de areia e a insegurança no calçadão.

Nas proximidades do Edf. Portugal, a falta de iluminação não é o maior problema, mas a queixa do pessoal que treina por lá é a violência mesmo. “Eu dou aula há cinco anos por lá, mas este ano está pior. A gente presencia vários assaltos e já teve até tiroteio”, reclama o professor Felipe Leão.

LEIA TAMBÉM:

Associação apresenta projeto para requalificar quiosques da orla

Precisamos falar sobre acessibilidade na Praia de Boa Viagem

3 lugares para jogar futebol no Pina e em Boa Viagem

“Antigamente tinha policial a cada 200 metros em todo o calçadão, mas agora a gente só vê a cada um ou dois quilômetros”, acrescenta.

A Polícia Militar afirma que está atenta às demandas do calçadão de Boa Viagem. “O policiamento é reforçado com Unidades Especializadas, além do 19º BPM, que realiza rondas ostensivas no local. Há também o efetivo que é lançado a pé e com o apoio do policiamento com Segway (diciclo, meio de transporte com duas rodas) em toda a extensão da orla”, explica a corporação por meio de nota.

Já os grupos que treinam nas proximidades do Edf. Acaiaca se queixam de treinar no escuro. O local tem três quadras de vôlei e futevôlei que são ocupadas com atividades, além dos grupos de exercício funcional que treinam na região.

“Uma vez uns professores instalaram um refletor, mas tiveram problemas, porque a Dircon chegou e mandou tirar”, comenta o professor Kepley Lyra.

“Dificulta. A gente fica dependendo da luz dos postes do calçadão, mas a área tem várias árvores e a folhagem não permite que o local fique iluminado”, relata o professor Marcus Girão.

Sobre a instalação de refletores, a Diretoria Executiva de Controle Urbano do Recife (Dircon) respondeu que essas ações são proibidas e só podem ser feitas pelo Poder Público.

Já a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) explica que a orla conta com 554 refletores com potência de mil watts. “O sistema de iluminação pública recebe manutenção preventiva duas vezes por semana, além do acionamento para medidas corretivas sempre que necessário”, afirma a nota, que não explicou se há projetos para direcionar iluminação diretamente para a faixa de areia.



comment 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *