Exército guarda tesouro ambiental em Aldeia

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Divulgação

Muita gente não tem conhecimento, mas no final da Estrada de Aldeia (entre o km 20 e o km 30 da PE-27) está nada menos que a maior faixa contínua de Mata Atlântica acima do rio São Francisco, dentro do Centro de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC).

LEIA TAMBÉM

Moradores de Aldeia dão exemplo de amor à natureza reflorestando condomínio

5 mitos e 5 verdades sobre Aldeia

Isso não é pouco! Significa que há sete décadas, desde que o Exército começou a construir o centro para treinar as tropas nordestinas que seriam mandadas para a Segunda Guerra Mundial, aquelas terras deixaram de ser plantações de cana e se transformaram em mais de 7 mil hectares de mata fechada.

CIMNC
Vista do alto, a mancha verde do CIMNC se destaca na paisagem da Região Metropolitana

“Isso aqui é um tesouro ambiental”, alegra-se o coronel Mário Vidal, diretor do CIMNC desde janeiro de 2016. “Há uma enorme variedade de fauna e de flora guardada aqui. E o mais incrível é que muitos pernambucanos desconhecem isso. Se olharmos a imagem aérea da Região Metropolitana do Recife, veremos claramente uma mancha verde se destacando.  É justamente a área do CIMNC com suas florestas preservadas. Uma coisa linda!”.

Coronel Vidal
O diretor, Cel. Vidal, diz que as pessoas precisam connhecer este patrimônio da União

Segundo o coronel, além de manter intacta a mata nativa em quase toda a extensão do CIMNC, o Exército tem cedido alguns hectares degradados para serem reflorestados como compensação ambiental por empresas que causam impacto no Estado, entre elas o Camará Shopping (que está sendo construído em Camaragibe) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Visitas

Para conhecer melhor toda a riqueza natural do local, o CIMNC tem convênios com as universidades Federal e Federal Rural de Pernambuco, assim como com a Fiocruz, que realizam estudos da fauna, da flora e das condições ambientais da mata, que faz parte da Área de Proteção Ambiental (Apa) Aldeia-Beberibe e passa por sete municípios: Araçoiaba, Abreu e Lima, Camaragibe, Igarassu, Paulista, Paudalho e Tracunhaém.

Sobrevoo da Mata Atlântica preservada pelo Exército
Sobrevoo da Mata Atlântica preservada pelo Exército em Aldeia

Visitantes também são bem-vindos, desde que agendem previamente e obedeçam as condições impostas pelo Exército. De acordo com o diretor, o Centro tem recebido grupos de desbravadores, escoteiros, esportistas e igrejas (retiros).

“Já houve corridas aqui que chegaram a ter 650 corredores”, cita. “Além disso, há cavalgadas e atividades outdoors promovidas por organizações e universidades. Gostaria de receber mais escolas, poder mostrar tudo o que temos para os estudantes”, diz.

Origens

Originalmente chamado de Centro de Instrução Militar Engenho Aldeia, o CIMNC foi construído durante a Segunda Guerra Mundial para treinar as tropas brasileiras a partir da desapropriação de onze engenhos.

Com o fim da guerra, os investimentos previstos não chegaram a ser concluídos – apenas 2% das construções projetadas foram executadas (para sorte da Mata Atlântica) –, e o quartel passou a ser utilizado apenas para as atividades militares de rotina do Exército e Aeronáutica.

Sete décadas depois, as matas do CIMNC continuam guardando pelo menos oito nascentes de rios, seis das quais fazem parte do abastecimento d’água do Recife, além de açudes, cachoeiras e córregos. Para lá são levados muitos animais silvestres resgatados pela CPRH, como preguiças, jacarés, cobras e capivaras.

Um paraíso ecológico que precisa ser mais conhecido e valorizado por todos.



comment 21 comentários

  1. É necessário conscientização na ocupação nessa área e nas adjacentes da Mata para NAO degradar o meio ambiente e hábitat da fauna e flora... Parabéns pela divulgação.
  2. Após devastada em Pernambuco, muito pouco ou quase nada restou da maravilhosa Mata Atlântica em nosso estado.  O que nos sobrou são pequenos fragmentos de mata, verdadeiros "museus verdes" para que as atuais gerações e, ainda mas especialmente as futuras gerações, possam ter alguma noção do que é uma floresta.  A mata do CIMNC trás em sua existência um alento, é  como uma chama que precisamos cuidar e manter acessa para alimentarmos a idéia de que possamos propagar um certo fogo de utopia. Utopia de ver um dia os fragmentos remanescentes preservados e reconectados,  novos fragmentos reflorestados e o desenvolvimento de uma consciência de que a mata é a mãe da água e que "pelo menos" por isso necessitamos garantir sua existência. O maior fragmento de Mata Atlântica, desde a margem norte do Rio São Francisco, a mata do CIMNC ainda está "de pé"   porque sem dúvida está protegida pelo Exército Brasileiro. É importante destacar que ela é  fruto não de uma mata primária e sim de um reflorestamento espontâneo.  Ela é  uma criança de apenas 70 anos que nos ensina tanto, nos ensina que há uma vitalidade na natureza e que precisamos fazer tão pouco para que essa vitalidade se manifeste.
  3. Poxa que magnífico! !! Sabia da existencia do CIMIC mas desconhecia esse pedaço mata atlântica. Interrese grandre em conhecer.
  4. Já foi minha casa fora de casa, servi no CIMNC em 2003, sinto muitas saudades de tudo lá, um tempo que não volta mais, foi de grande valia para a minha vida aquele período que passei, se dedicando para guardar toda a extensão do CIMNC, não foi fácil mas conseguimos!
  5. Notícia maravilhosa para ler lida em pleno dia do Biólogo. Que o exercício continua preservando esse tesouro ambiental.
  6. Meu pai na época como Capitão Brandão, fazia treinamento nessa Mata e nunca tive a oportunidade de conhecer. Parabéns ??
  7. Poucos conhecem o Exército Brasileiro....quando tantos não chegam as calamidades o Exército se faz presente ....PATRIA BRASIL!!!
  8. Parabéns pela iniciativa do exército, ainda bem que temos um órgão público interessado em manter uma mata como essa, mais uma contribuição de quem realmente se importa por nossa nação.
  9. Que legal! Devemos redobrar os cuidados com esse belíssimo tesouro da nossa nação.
  10. Estive no CIMNC no final de agosto de 2017 com os Desbravadores. Foi minha 1° visita . É maravilhosamente fabuloso...amo a mata!! E viva o Exército Brasileiro!!!! Estarei lá no CIMNC de novo esse mês, vai ser incrível!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *