Vídeo: aprenda a fazer catchup rústico com Beth da Matta, da Judith & Judith

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Ilana Costa/PorAqui

Na casa de Beth da Matta, na Rua Amélia, no Espinheiro, Zona Norte do Recife, garrafas de catchup têm quase a mesma importância  que as obras de arte dispostas pelo apartamento. Talvez isso seja exagero, mas impressiona a paixão que Beth nutre pelos molhos de tomate de sua marca Judith & Judith, que recebem embalagem caprichada, de vidro mesmo, e rótulo à moda antiga.

LEIA TAMBÉM:

Hambúrguer do Burgrill supera expectativas

Toronto chega à Tamarineira com boa cerveja, rock e burguers canadenses

Beth da Matta você deve conhecer. Artista plástica, diretora do Museu de Arte Moderna Aluísio Magalhães (Mamam), ativista cultural. Não à toa, sua produção de catchup rústico, que surgiu em janeiro, já começa a fazer volume. Só para o fim de semana subsequente à entrevista ao PorAqui, Beth estava terminando de produzir 350 garrafinhas para um evento que aconteceria no Plaza Shopping, o Festival de Hambúrguer e Churrascada (que continua nesse próximo fim de semana, nos dias 12 e 13 de agosto).

Foto: Ilana Costa/PorAqui

Na cozinha quase pequena do apartamento que divide com a família, chega a produzir 50 garrafas de 330 gramas por semana, que põe à venda por R$ 18 na página do Instagram @_judith.judith.

“Estou precisando expandir, pois a demanda está grande. Existe uma procura por produtos mais saudáveis. E as pessoas estão valorizando também o produto local”, explica Beth, que faz o molho em três versões: nos sabores tradicional, picante e defumado.

O início

Tudo começou quando um amigo dela, Bruno Vilela, também artista, decidiu fazer hambúrgueres em casa, há uns dois anos. Beth, que já  cozinhava e é até formada em gastronomia, levou alguns molhinhos e, claro, catchup feito em casa.

“Ele adorou porque adora comida. Tem gente que tem essa coisa com o paladar e que parece que estimula a gente a produzir. Aí comecei a repetir aqui em casa e já era algo que estava comum. ‘Ai, mãe, faz o catchup’. Eu vi que tinha potencial até porque, em toda minha produção gastronômica, eu estou preocupada com o que estou usando. A gente tem que se preocupar com o que coloca na boca”, diz Beth.

“Por trás disso, também tem essa preocupação: de oferecer um produto de qualidade. Esse catchup é um catchup totalmente artesanal. Os ingredientes que eu uso são altamente selecionados. Tem açúcar, tem sal, mas não dá para comparar com um catchup industrializado: cor, textura, sabor”, pontua.

Atualmente, ela fornece o molho para os seguintes endereços: Campo da Serra (Riomar), Barchef e Pescadero (Casa Forte), Arcádia Gourmet (Boa Viagem) e Açúcar e Afeto, na Rua da Hora, no Espinheiro mesmo, onde custam de R$ 20 a R$ 22.

Além das vendas em lojas físicas e do Instagram, dá também para pedir pelo Whatsapp (81)99230-1175. Pela rede de mensagens, o valor também é de R$ 18, porque o pedido é feito diretamente a ela.

Veja, agora, vídeo com a receita do catchup rústico, com Beth da Matta:

Agora a receita por escrito, pra você guardar!

Arte: Caio Vieira/PorAqui


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *