Moradores do Espinheiro criticam derrubada de oitizeiros na Rua Conselheiro Portela

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Oitizeiros criavam ambiente bastante singular da Conselheiro Portela (Foto: Colaboração/Klaus Hachemburg)

Anunciada como uma operação de poda, a ação realizada pela Prefeitura do Recife com apoio da Celpe, no último domingo (2), acabou se tornando também de erradicação de pelo menos dois oitizeiros. As árvores, muito comuns no bairro do Espinheiro, na Zona Norte do Recife, ficavam em frente ao novo prédio do Ministério Público do Trabalho, na Rua Conselheiro Portela.

No grupo Direitos Urbanos no Facebook, Raphael Maia, postou fotos e questionou a ação nesta segunda-feira (3):

“Durante todo o dia de ontem – teve início aproximadamente às 8h e só veio se dar por encerrado o trabalho perto das 19h – na Conselheiro Portela, nas proximidades do Tomaseli, aconteceu a destruição de três árvores que ficavam em frente a um futuro empreendimento de uma construtora.

No início pensei que poderia ser uma medida preventiva devido às chuvas dos últimos dias e o ocorrido se justificava devido a um iminente risco de queda mas logo em seguida percebi que a poda ocorrera somente nas três árvores que dividiam a calçada com o empreendimento enquanto as suas vizinhas permaneceram intactas; o que me fez refletir e questionar a ação.

Não sei se o procedimento foi feito com autorização da prefeitura, pela Prefeitura ou algo do tipo mas vejam com seus próprios olhos e se choquem”.

LEIA MAIS
Ministério Público do Trabalho justifica derrubada de árvores no Espinheiro

Árvores ficavam em frente ao novo prédio da Procuradoria Regional do Trabalho (Foto: Klaus Hachenburg/PorAqui)

Questionada pelo PorAqui, a Celpe explicou que a ação em questão foi responsabilidade da Emlurb e reforçou que não erradica árvores. “A empresa apenas atua no controle dos galhos que se aproximam da rede elétrica. Estamos à disposição para dirimir quaisquer outras dúvidas”.

O Governo Municipal se eximiu de responsabilidade, justificando que houve solicitação do Ministério Público do Trabalho e que havia sido assinado entre as partes um termo de ajustamento de conduta (TAC), que levou à erradicação dos oitizeiros. Veja abaixo a a íntegra da resposta enviada pela Prefeitura do Recife.

Nota da Emlurb (Prefeitura do Recife)

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) explica que, em 2015, para a realização de obras de reforma, a Procuradoria Regional do Trabalho solicitou à Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Recife autorização para erradicar dois oitizeiros da frente da sua sede, na Rua 48, no Espinheiro.

O termo de ajustamento de conduta foi celebrado entre o Ministério Público de Pernambuco, o Ministério Público do Trabalho, Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Recife e a Emlurb.

A exigência, nesses casos, é o plantio de pelo menos duas árvores para casa árvore erradicada. Inicialmente o Ministério Público do Trabalho se comprometeu a plantar 20 árvores, num local indicado pela Prefeitura do Recife, com altura mínima de quatro metros.

Como teve dificuldade para encontrar plantas com essa especificação, foi realizado um termo aditivo ao TAC, reduzindo a altura e duplicando a quantidade de mudas. O plantio das 40 mudas foi realizado em março de 2017, no Parque da Macaxeira.

Com a comprovação da compensação, a Emlurb realizou a erradicação das plantas, no último domingo (2).



comment 6 comentários

  1. Lamento mas o parque da Macaxeira é outro espaço com o mínimo ou zero árvores plantadas Venho ver de perto!!
  2. Um completo e total absurdo, primeiro porque eram árvores com grandes copas e faziam bastante sombra na rua, segundo, que não houve respeito ao meio ambiente, teriam alternativas para evitar a erradicação das arvores refazendo o projeto arquitetônico (uma das arvores foi derrubada para entrada de carros), terceiro, uma outra estava ao lado de uma parada de ônibus, fazia sombra e não estava atrapalhando em nada. Além disso, as podas foram feitas sem critério algum, haviam muitos galhos que não estavam próximos a rede elétrica. Muito triste!
    1. Absurdo total! Tudo isso para valorizar a vista do Ministério Público Do Trabalho Procuradoria Regional Do Trabalho Da 6 Regiao ??
  3. Kd as fotos das arvores plantadas na macaxeira p comprovar o replantio???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *